Invent


A La Mère de Famille

Vale muito a pena conhecer esta loja de balas, chocolates, biscoitos e outras delicias ! Tem um ar retro irresistível ! A começar pelo nome da loja … A gente se sente transportado para o passado e se encanta com tudo como literalmente uma criança numa loja de balas! As embalagens são lindas e originais. Perfeito para comprar presentes. Sucesso garantido !  Tem várias lojas em Paris.

 

A MAIS ANTIGA CONFEITARIA DE PARIS 


Com mais de 200 anos de tradição, A La Mère de Famille é um monumento gastronômico. 
Mas as incontáveis guloseimas, confeccionadas artesanalmente, que enchem suas vitrines e prateleiras são pouco conhecidas pelos turistas. 

Nos guias de viagem, o nome A La Mère de Famille não faz parte da lista de inúmeros monumentos a ser visitados na capital francesa. Talvez porque não haja uma seção de “patrimônios históricos gastronômicos” nesse tipo de publicação. O fato é que o turista que passeia pela cidade da Torre Eiffel, da Notre Dame e do Louvre nem sabe que sua mais antiga confeitaria, fundada em 1761, quase três décadas antes da Revolução Francesa, ainda funciona e é um verdadeiro monumento da pâtisserie, tombado pelo patrimônio histórico parisiense.

Em suas vitrines seculares são expostas incontáveis tentações, confeccionadas artesanalmente, capazes de encher os olhos mesmo de quem se diz pouco adepto das delícias açucaradas e dos chocolates.

Situada na Rue du Faubourg Montmarte, no 9 arrondissement, bairro que pode ser chamado de popular, essa antiga chocolatier está certamente na lista de endereços prediletos dos “gourmands” locais. Os confeitos são tão célebres – e saborosos – quanto os menus de grandes chefs estrelados que se espalham por Paris.

Ganaches, pralinés e trufas compõem mais de quarenta tipos de bombom, além de especialidades tipicamente francesas, como a pâte d’amende, a pâte de fruits, calissons, macarons e madeleines.

O interior da loja parece cenário de filme.

Os produtos têm excelente aspecto e são dispostos de forma impecável nas mesas e prateleiras de mármore e madeira maciça. A decoração da época de Bonaparte foi mantida – como o caixa, que fica atrás de uma cabine de vidro. 

A La Mère de Famille foi fundada por uma freira que se instalou nos arredores de Paris para escapar da ira dos revolucionários, que perseguiam membros da Igreja. Ela iniciou suas atividades fazendo poções para curar problemas de saúde e passou a ser chamada de “mãe de família” (tratamento que deu nome ao estabelecimento), mas logo entrou no ramo da culinária. Por pouco mais de um século a casa funcionou com dupla função, até concentrar-se apenas na venda de chocolates, bolos e guloseimas.

Em se tratando dos chocolates, a principal diferença é que naquela época o quilo custava menos de 1 dólar (hoje é vendido, em média, por 50 dólares) e eles não eram fabricados ali, e sim por tradicionais fornecedores da casa. Atualmente são produzidos, de forma artesanal e sem conservantes, no ateliê da empresa, na cidade de Tours, no Vale do Loire, pelo chef-chocolatier Jean-Marc Polisset. 

Apesar do nome “mãe de família”, a épicerie que se transformou em chocolatier e confeitaria atravessou os séculos mudando de proprietários. A freira, é claro, não deixou descendentes, o que ocorreu com vários dos outros donos, fazendo com que por diversas vezes a atividade tenha passado para outros membros de uma mesma família.

No fim de 2000, entretanto, a casa foi comprada por Etienne Dolfi, de origem alsaciana, que está no ramo de bombons há quase três décadas. Dolfi adquiriu a tradicional casa e entregou a gerência a sua filha, Sophie, o que significa que pelo menos nessa geração o negócio deve continuar em família. 

Le staff de À La Mère De Famille est une équipe jeune. À gauche, Jane Dolfi, au centre, Julien Merceron le jeune chef pâtissier de la maison et à droite, Steve Dolfi. Ensemble, ils effectuent de vraies recherches créatives pour tous les rendez-vous gourmands de l’année : Noël, Saint-
Valentin, Pâques. 
Ils choisissent un jeune chocolatier (confiseur, glacier, et pâtissier aussi tant qu’on y est), Julien Merceron, pour commander à la production de toutes les merveilles en vente à l’enseigne. Il est si jeune et discret qu’on le croirait tout juste arrivé de l’école – mais ne vous y trompez pas, celui qui porte le souffle créatif de la belle institution : c’est bien lui. Poules en chocolat drolatiques, glaces carossées comme des fusées, délicieux financiers aux fruits ou au chocolat, la patte de Julien est aussi ludique que gourmande – et forcément : ça marche.
“Depuis peu, on constate un boom des ventes. Et nos clients ne sont pas que des enfants !”, assure Julien Merceron, chef pâtissier de la maison “A la mère de Famille” à Paris, connue pour ses guimauves ”haut de gamme”.
Pour Julien Merceron, le grand retour de la guimauve est un phénomène de société. “En période de crise, les gens ont tendance à se tourner vers le passé. La guimauve est une sucrerie liée à l’enfance, c’est certainement une des raisons de son succès”, estime-t-il.

Além dos chocolates, a marca produz, em um ateliê situado na região de Provence, calissons, nougats e as célebres pâte d’amende (doces em forma de frutas). Outras delícias são feitas por fornecedores tão tradicionais quanto a própria Mère de Famille.

O passeio pela região pode prosseguir: a poucos metros dali ficam a casa de espetáculos Folies Bergèrese o célebre restaurante Chartier, uma lenda entre os parisienses em razão de seu grande salão com pé-direito altíssimo, da decoração da belle époque, de seus pratos a preços baixos e de garçons não muito gentis. Seguindo pela mesma rua, chega-se ao bairro de Montmarte, onde subir os muitos degraus da Igreja Sacré-Coeur pode ser uma boa maneira de queimar as calorias adquiridas na mais antiga confeitaria parisiense. 

A maison de chocolates Mère de Famille completou 250 anos e oito endereços em Paris. A loja original, no Faubourg Montmartre, continua lá, com a doce convivência entre os clássicos, que eles chamam de incontournablese as novidades.

                                                             * Foto by Conexão Paris

Esta maravilhosa loja se encontra no mesmo endereço desde 1761 com suas famosas balas de caramelo. E também seus bolos e chocolates.

* Foto by Conexão Paris

Um baú comemorativo do aniversário combina toda essa marcha histórica da casa através de QUATRO quilos de iguarias, de barras de cacaus finos até kits de degustação, passando por mimos como geléias, caramelos e especialidades que só quem convive com os franceses conhece, como os orangettes e os calissons. A bagatela é de 380 euros pelo brinquedo, algo próximo dos 1.100 reais.

Baú comemorativo dos 250 anos do La Mere de Famille (Divulgação)

A la mère de famille: Les recettes gourmandes de Julien Merceron

 

 

La Mère de Famille

33 e 35, rue du Faubourg Montmartre

75009 Paris.

Tel: 01 47 70 83 69

Metro Grands Boulevards.

47 Rue Cler
75007 Paris, Paris
Tel: 01 45 55 29 74
39 Rue du Cherche-Midi
75006 Paris, França
Tel: o1 42 22 49 99

Une institution parisienne

Véritable institution parisienne, la confiserie A la Mère de Famille a été fondée en 1761 ! Même si la fameuse enseigne a désormais ouvert plusieurs annexes dans la capitale, sa boutique du faubourg Montmartre est la plus ancienne confiserie de Paris. 

Cette maison, qui a fait le bonheur de générations de gourmands, propose plus de 1200 références de friandises de fabrication artisanale : chocolats, florentins, calissons, guimauves, roudoudous, fruits confits, berlingots, pâtes de fruits, marrons glacés ou encore Bêtises de Cambrai… 

Sur de vieux comptoirs au bois patiné, les bonbons anciens côtoient les dernières créations de la confiserie. Tradition oblige, certaines spécialités de la maison sont élaborées à partir d’anciennes recettes familiales.

Leia mais sobre La Mère de famille, num artigo do Figaro La Mère de famille : le goût de l’enfance e  num outro artigo no Le Parisien  A la Mère de Famille fête 250 ans de gourmandise

Fontes:
www.lameredefamille.com

http://www.parisrivedroiterivegauche.com/

http://www.conexaoparis.com.br

http://www.oconfeiteiro.blogger.com.br/2011_08_01_archive.html

http://www.gralon.net

http://www.talheres.info

http://www.lefigaro.fr/scope/articles-attitudes/2009/09/02/08011-20090902ARTFIG00563-la-mere-de-famille-le-gout-de-l-enfance-.php

http://maevadestombes.blogspot.com.br/2010/05/la-mere-de-famille-excellence-de_27.html

http://www.marabout-cote-cuisine.com/2011/12/05/une-histoire-de-famille/3274

Read more...


Indochine

A banda de rock francesa Indochine  já tem muitos anos de estrada. Formada em 1981 o grupo conseguiu o reconhecimento do publico lá pela metade da década de 80, não apenas na França como em toda a Europa. Titulos como L’aventurier” eCanary Bay” tornaram-se grandes hits na época.

L’aventurier

Canary Bay

Seu segundo album Le Péril Jaune saiu em 1983
Miss Paramont

Gang Bang

Kao Bang

Após uma passagem meio apagada pelos anos 90, o grupo retomou o caminho do sucesso em 2002 com o lançamento do album Paradize - que teve mais de 1.200.000 discos vendidos.
Tes yeux noirs

Apesar de Alice et June, o ultimo album da banda, ter sido lançado em 2005, a tourné Alice et June Tour explodiu mesmo em 2007 e foi celebrada com o relançamento do album em um box super bacana que acompanha o DVD do show. Tanta evidência fez com que Alice et June ganhasse na edição de 2007 do Les Victoires de la Musique o prêmio de album de pop/rock do ano.

Os mais jovens não gostam muito, é bem verdade. O grupo Indochine é de certa forma rotulado como “rock para trintões”.

Integrantes: Nicola Sirkis,,Marc Eliard,Boris Jardel,Olivier Gérard,François Soulier e François Matuszenski


L’Aventurier (1982) ♦ Le Péril Jaune (1983) ♦ 3 (1985) ♦ Au Zénith (1986) ♦ 7000 Danses (1987) ♦ Le Baiser (1990) ♦ Le Birthday Album (1991) ♦ Un Jour dans notre Vie (1993) ♦ Radio Indochine (1994) ♦ Unita (1996) ♦ Les Versions Longues (1996) ♦ Wax (1996) ♦ Indo Live (1997) ♦ Dancetaria (1999) ♦ Nuits Intimes (2001) ♦ Paradize (2002) ♦ 3.6.3 (2004) ♦ Alice & June (2005) ♦ Hanoi (2007) ♦ Alice & June tour (2007) ♦ La République des Meteors (2009) ♦ Le Meteor sur Bruxelles (2010)

Un nouvel album d’Indochine en 2013

Indochine, qui vient de signer avec le producteur de spectacle Live Nation pour sa prochaine tournée, s’apprête à publier son douzième album studio en 2013. Ce nouvel opus sera suivi par la plus longue tournée jamais faite par le groupe.

Indochine, en route pour le Black City Tour !

La nouvelle a déjà fait le tour des réseaux sociaux et s’est confirmée : le groupe est bien de retour en 2013 ! Dévoilant déjà son premier single Memoria, sorti le 15 novembre et dont le clip est en cours de tournage, le groupe a également annoncé sur son site officiel indo.fr que leur album sortira le 11 février 2013.

Les fans peuvent déjà s’en réjouir, d’autant plus que nos Boys ont également annoncé les dates de la tournée, le Black City Tour 1, qui passera dans toute la France.  Les billets seront mis en vente à partir du 26 novembre et toujours au tarif unique de 35 euros.

fontes:

http://www.indo.fr/

http://bastetglasba.blogspot.com.br/2011/08/indochine-coming-soonpronto.html

http://official-indochine.skyrock.com/

http://viverparis.blogspot.com.br/2008/09/indochine.html

 

Read more...


Livide

Livid-2011 / França / Direção: Alexandre Bustillo, Julien Maury / Roteiro: Alexandre Bustillo, Julien Maury / Elenco: Chloé Coulloud, Félix Moati, Jérémy Kapone, Catherine Jacob

Sinopse: É o primeiro dia de treinamento de Lucie como ajudante de afazeres domésticos. Ela visita a Sra. Jessel, uma idosa que se encontra em coma cerebral, isolada numa casa deserta. Assim que descobre que a Sra. Jessel, uma professora de dança, supostamente possui um tesouro escondido no local, Lucie e seus amigos William e Ben decidem vasculhar a casa na esperança de encontrá-lo. À noite, eles invadem a residência, que se revela incrivelmente peculiar. Sua caça pelo tesouro da Sra. Jessel os conduz para uma série de terríveis eventos sobrenaturais que mudarão Lucie para sempre.

“Livide é um verdadeiro presente para os fãs do terror. É uma loucura criativa, um filme que faz o telespectador mergulhar em imagens que ressoarão por décadas em sua mente.”

Essa é a impressão em várias mídias especializadas que já tiveram contato com Livide, filme de terror francês , com taglines que o descrevem como “um pesadelo vivo“. Os responsáveis pelo longa são Alexandre Bustillo e Julien Maury, os mesmos do ótimo A Invasora, outro terror de dar calafrios no mais forte dos marmanjos.

Logo no começo da fita somos apresentados a Lucie Klavel, uma estagiária de enfermagem que possui heterocromia, anomalia genética responsável pela variação da coloração da íris  e mora em uma cidade costeira na França. Em seu primeiro dia de treinamento, ela ajuda Catherine Wilson a visitar os pacientes idosos em suas residências para medicá-los e oferecer assistência. Afastado do centro, há um enorme e antigo casarão onde vive uma famosa professora de balé em estado vegetativo, respirando através de aparelhos e se alimentando de sonda intravenosa, chamada Sra. Jesssel, que deixou claro em seu testamento que gostaria de morrer em casa.

Jessel, segundo consta, é podre de rica e não tem nenhum familiar vivo, apenas uma filha que era surda e morrera há tempos. A Sra. Wilson conta a Lucie sobre uma lenda de que Jessel tem um tesouro escondido em algum lugar daquele imenso casarão. Mais tarde naquela mesma noite, Lucie encontra-se com seu namorado William, um pescador ambicioso sem muita chance de dar certo na vida, e conta a ele sobre o tal tesouro. Cifrões brilham nos olhos do rapaz que junto com Lucie e seu melhor amigo, o garçom Ben, resolvem invadir a casa à noite, atrás de dinheiro fácil para que os três possam sair da vidinha miserável e medíocre que levam.

Bom, dá para perceber que é mais uma daquelas ideias brilhantes que todos o personagens de filmes de terror tem, né? Entrar foi bem fácil, porém eles ficarão presos dentro do casarão e irão se deparar com um terror indescritível e vários elementos sinistros ali dentro, como o quarto da filha de Jessel, Anna, que possui uma mesa de chá com estranhíssimos bonecos sentados com cabeças de animais empalhados, ou mesmo quando descobrem que Anna está mumificada no porão da casa, transformada em uma boneca de corda de tamanho real. Claro que a visita também vai despertar a velha de seu coma (se é que ela realmente estava em coma) e através de flashbacks, Lucie vai descobrir a verdadeira e bizarra história entre mãe e filha.

A primeira metade do filme é construída em um baita clima de suspense e tensão constante pela dupla de diretores, auxiliado pela escura fotografia repleta de cores frias do Diretor de Fotografia Laurent Barès e com o design de produção impecável, com o aspecto velho da casa e o todo o seu mise-en-scéne. É muito perceptível a sensação de assistir um filme sobre casas mal-assombradas. Mas na metade final, ele ganha outro escopo, mergulhando de vez em um conto de fadas perturbador, misturando elementos de vampirismo e bruxaria para contar a história sobre a Sra. Jessel e Anna, em uma  profusão em cenas de extrema violência visual, com direito a facadas, marteladas, tesouradas e canibalismo.

Com a condição de não quebrarem nada e pegarem apenas o necessário, invadem facilmente o casarão pelo porão, um buraco entulhado de porcarias. Pelos corredores silenciosos e tomados pelo breu, procuram pelos cômodos e se deparam com uma porta trancada, a única. Lucie lembra da chave no pescoço da velha e lá vão eles, cheios de coragem e burrice. A chave servindo ou não na porta, Ben acaba arrombando-a. No interior, encontram algo que traz a cena mais sinistra de todo o filme.

Como “a velhota” não era professora de balé a toa, a bailarina aqui ganha um tom mórbido, diferente da delicadeza usual. Fantasmagóricas em sépia, o efeito cromático na presença das bailarinas é forte e se choca com o sangue derramado a marteladas e/ou facadas. Sorrisos inocentes escondem dentes prontos para dilacerar sua carne, em um show de vampirismo e canibalismo, embalado por movimentos ora graciosos ora bruscos. É o momento das fadas do conto entrarem em cena, no caso com grande vocação para bruxas.

Livide não assusta. Enquanto é bastante óbvio para qual direção ele segue, é interessante acompanhar as motivações e ações dos personagens. A atriz que interpreta Lucie (Chloé Coulloud) nos apresenta uma personagem simpática e com profundidade genuína, e não há queixas a serem feitas sobre o elenco de apoio.

Os dois terços iniciais do filme são substancialmente melhores do que o final. Isso se dá porque não se sabe para qual gênero ele vai. Há o terror, suspense, drama, fantasia.

O gelo na espinha se encarregará de mantê-lo grudado na cadeira, os olhos fixos na tela esperando pela cena seguinte.

Livide carrega um tom extremamente mórbido, mas ao mesmo tempo surreal e poético. O seu final, por exemplo, foge completamente do convencional e tem uma extrema peculiaridade. E as aparições da velha bruxa / bailarina / vampira / criatura / sei lá o que, são realmente tenebrosas, com seus trejeitos, aparência, voz e gritos guturais. Vale muito a pena ver o que essa dupla de diretores conseguiu aprontar, fugindo completamente do estilo do seu primeiro filme, e até mesmo do que se vinha fazendo no cinema francês de horror até então, e ficar na expectativa de saber qual será seu próximo trabalho e qual caminho eles irão trilhar.

LES RÉALISATEURS – Os Diretores

Alexandre Bustillo et Julien Maury

Né le 10 août 1975 à Saint-Cloud, Alexandre BUSTILLO se passionne pour le cinéma dès son plus jeune âge. Des films comme Les Dents de la merHalloween ou encore Les Innocents, ainsi que l’intégralité de l’œuvre du réalisateur italien Dario ARGENTO, le poussent à intégrer l’université de Saint-Denis (Paris 8), d’où il ressort diplômé d’une maîtrise en cinéma et audiovisuel. Il postule alors au cinéma Méga-CGR de Mantes La Jolie, où il devient projectionniste. Puis il intègre l’équipe du magazine référence pour les fans de cinéma de genre,Mad Movies, en tant que journaliste. Il collabore également, en tant que rédacteur, aux rubriques cinéma des magazines de musique Velvet et Hard N’ Heavy.

Également passionné de cinéma, Julien MAURY s’inscrit à l’ESRA (Ecole Supérieure de Réalisation Audiovisuelle) et obtient un diplôme en section « réalisation cinéma » trois ans plus tard. Il commence comme cadreur, essentiellement pour la télévision (plateaux, reportages…), avant de réaliser plusieurs makings-of de la série Un gars, une fille, ainsi que des clips et des films institutionnels. Tout en étant lecteur de scénarios pour une boîte de production, il réalise plusieurs courts-métrages avec ses propres moyens, parmi lesquels PedroShark Attack, et surtout Pizza à l’œil, qui lui permet de se faire remarquer puisqu’il est sélectionné dans neuf festivals aux quatre coins de la France et obtient six prix dont celui de la mise en scène.

Sa rencontre avec Alexandre Bustillo émane de la même passion, une attirance pour les films de genre. En 2006, Alexandre BUSTILLO et Julien MAURY coréalisent leur premier long métrage À l’intérieur, produit par La Fabrique 2, et sélection officielle du Festival de Cannes 2007 – « Semaine de la Critique ». Il est aujourd’hui considéré comme un film culte. Ils coécrivent également des scénarios aux États-Unis, pour La Weinstein Company notamment.

En 2010, ils coécrivent et réalisent Livide, toujours produit par La Fabrique 2, véritable conte fantastique moderne avec Chloé COULLOUD, Marie-Claude PIETRAGALLA, Catherine JACOB, Béatrice DALLE, Jérémy KAPONE et Félix MOATI.

 

Fontes:

http://101horrormovies.wordpress.com/2012/10/31/101-livide-2011/

http://bocadoinferno.com/artigos/livide-nem-pense-na-noite/

http://www.filmesvideozer.net/2012/05/assistir-livide-online-dublado-legendado-filmes-online.html

http://nosgeeks.com.br/livide-fique-palido-de-medo/

http://www.scifi-universe.com/actualites/12568-titre-du-prochain-film-de-julien-maury-alexandre-bustillo.htm

http://lci.tf1.fr/cinema/films/livide-6708469.html

http://www.comic-con-france.com/fr/contenu/livide_553.htm

Read more...


Cinemathèque Française -Cinemateca francesa

A Cinemateca é um espaço dedicado ao cinema, com projeções, exposições, conferências… No Museu da Cinemateca, situado no magnífico prédio do arquiteto Frank O. Gehry, percorra a história e a pré-história do cinema e descubra os tesouros da coleção da Cinemateca francesa : instrumentos de ótica, câmeras, lanternas mágicas, trajes míticos, cartazes, documentos de cinema e objetos cults…

© Cinémathèque Française. Clark Gable e Mirna Loy durante as filmagens de Too hot to handle, de Jack Conway, 1938.

Ao longo deste percurso, acompanhado por numerosas amostras de filmes, você encontrará os maiores nomes do cinema, de Charlie Chaplin a Alfred Hitchcock, de Fritz Lang a Luis Buñuel.

Desde 2005, este museu dedicado ao cinema está com cara nova, instalando-se no antigo “American Center”, construído pelo arquiteto Frank Owen Gehry . Para os cinéfilos há uma coleção de 40 mil filmes!

A Cinemateca Francesa é a mãe dos jovens talentosos que inventaram a Nouvelle Vague. Sem ela e seu criador, Henri Langlois, a Nouvelle Vague não teria existido, garante Serge Toubiana, crítico e ex-diretor da revista “Cahiers du Cinéma”, de onde saíram Truffaut e Godard, entre outros jovens críticos da década de 60. Eles faziam cinema com uma paixão e uma entrega tão absolutas que deram origem ao mais importante movimento do cinema francês, sua idade de ouro.

“Truffaut, aos 16 anos, se refugiou na Cinemateca, era como um refúgio, uma vida clandestina em relação à vida real. A Cinemateca era uma vida paralela, um mundo em si”, diz Toubiana, o atual diretor-geral da Cinemateca Francesa.

Serge Toubiana é o homem certo no lugar certo. Sua paixão pelo cinema o levou a escrever uma biografia de François Truffaut e o conduz todo dia ao escritório do último andar do antigo American Center. Sob sua batuta, a nova sede da Cinemateca Francesa foi inaugurada no dia 28 de setembro de 2005, com a presença de vários atores e cineastas, como Martin Scorsese, Wong Kar-wai, Manoel de Oliveira e Roman Polanski.
Na inauguração, Scorsese anunciou a criação de um ramo internacional da Film Foundation, instituição fundada por ele e outros colegas diretores para apoiar as cinematografias dos países emergentes.

O novo prédio, que lembra o museu Guggenheim de Bilbao, do mesmo Gehry, fica diante do parque de Bercy, na margem direita do Sena. Em frente ao templo do cinema, do outro lado do rio, fica o templo do livro: a Biblioteca Nacional da França, outro belo exemplo da arquitetura moderna da capital. Ligando os dois centros de cultura encontramos a passarela Simone de Beauvoir. Ninguém melhor para aproximar o mundo do cinema do mundo dos livros.

A passarela Simone-de-Beauvoir foi inaugurada em 2006 para ligar o bairro de Bercy, rive droite ao de Tolbiac, rive gauche. Sua estrutura é original construída no atelier Eiffel na Alsace. Ela possui 200 metros sem nenhum apoio no rio sena. Até a apariçao desta passarela, a ponte mais larga de Paris era a Alexandre III.

Cinemathèque Française
51, rue de Bercy, – 75012 Paris  /  T. 01.71.19.32.32
Todos dos dias de 12h às 19h
Domingos das 10h às 20h
www.cinematheque.fr

Ingressos: 11 euros. Visitas guiadas a 12 euros, sábados e domingos, às 10h30.

Próxima exposição será Pialat, de fevereiro a julho de 2013

Du 20 février au 7 juillet 2013

Lundi, Mercredi à Samedi : 12h-19h / Dimanche : 10h-20h/ Fermée tous les mardis

Plein tarif : 5€

Tarif réduit : 4€

Libre Pass : Accès libre

- Expo + Film ou Expo + Musée : forfait 7€

Le cinéma de Maurice Pialat s’affirme dans un naturalisme autobiographique cru. Derrière la dureté des sujets abordés comme la séparation et l’abandon (Nous ne vieillirons pas ensemble, Loulou), la mort (La Gueule ouverte), le désespoir social (Passe ton bac d’abord), se cache une vision pessimiste du monde et de l’homme. 

Aproveitando a viagem

  • Não deixe de conhecer a Bibliothèque Nationale de France (BnF), que fica ao lado, cruzando o Sena.
  • A própria ponte que liga o parque da Cinemateca à Biblioteca Nacional é turística por si só, com sua arquitetura moderna e níveis diferentes de passagem.

 

Fonte:

http://www.cinematheque.fr/

http://hospedagem-em-paris.guide-accorhotels.com/hotel-paris/museu-monumento-paris/cinemateca-francesa-museu-do-cinema-paris-p-177148

http://raimundinha-jr.blogspot.com.br/2011/03/paris-jour-6-8-de-marco-de-2011.html

http://p.php.uol.com.br/tropico/html/textos/2661,1.shl

Read more...


Une vie meilleure – A Vida vai melhorar

Une Vie Meilleure - Uma Vida Melhor
Realização: Cédric Kahn
Com: Guillaume Canet e Leïla Bekhti
2011**

Sinopse (via Split Screen): ”O amor entre Yann e Nadia (Guillaume Canet e Leïla Bekhti) nasceu no momento em que se conheceram. Apaixonados, decidem recomeçar uma vida em comum e, para isso, arriscam um sonho antigo: comprar um edifício em ruínas e abrir um restaurante nos subúrbios de Paris. Mas o financiamento do banco para o novo projecto parece cada vez mais difícil de obter e eles acabam por optar por um empréstimo adicional, com juros altíssimos. Quando os seus salários deixam de ser suficientes para pagarem o que devem, Nadia decide partir para o Canadá, onde lhe prometeram um ordenado elevado, deixando Slimane (Slimane Khettabi), o seu filho de nove anos, aos cuidados de Yann. Com o passar do tempo, uma situação que se previa provisória vai-se prolongando. Até ao dia em que ela deixa de dar notícias. Realizado pelo francês Cédric Kahn (“O Tédio”, “Arrependimentos”), um filme sobre as dificuldades das pessoas comuns em tempos de crise e onde o desespero as pode levar.

Estamos felizes em ver Cédric Kahn no que faz melhor, um cinema ávido, vivo, fosco, com os pés na realidade e a cabeça na ficção, fazendo dele um possível herdeiro de Maurice Pialat. Serge Kaganski – Les Inrockuptibles

Trabalho em equipe

Segundo Cédric Kahn, a roteirista Catherine Paillé e o editor Simon Jacquet tiveram muita liberdade de criação.

Inspiração no cinema

O diretor Cédric Kahn se inspirou em Ken Loach (Sweet Sixteen) e nos irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne (A Criança) para retratar de forma verossímel a realidade de Uma vida  Melhor .

Atuando com uma criança

Para o ator Guillaume Canet  foi um filme complicado de realizar por ter que contracenar com uma criança, mas este contato com um menino de nove anos foi um dos fatores que o motivou a aceitar o papel de Yann.

Da comédia ao drama

Após atuar em comédias como Tudo o que Reluz (2009), Leïla Bekhti aceitou uma personagem dramática neste filme .

Vida real

Filmando em Saint Denis, o diretor Cédric Kahn pretendia mostrar a pobreza e a precariedade da região. Ele utilizou uma filmagem semi-documental em que os verdadeiros moradores da cidade serviram como figurantes.

Luz, câmera, ação!

Durante as filmagens, o diretor Cédric Kahn priorizou a improvisação, para garantir a espontaneidade do menino Slimane Khettabi.

Novo território

Após a realização dos filmes L’ Ennui (1998), Roberto Succo (2000) e Les Regrets (2008), Cédric Kahn resolveu mudar de direção e fazer uma história diferente das anteriores.

Cédric Kahn entra no mundo do cinema através da montagem do filme de Maurice Pialat Sob o Sol de SatãApós fazer dois curtas-metragens e co-escrever dois roteiros, ele filma seu primeiro longa-metragem em 1993, O Bar dos Trilhos, selecionado para o Festival de Veneza. Em seguida, ele faz um telefilme que será lançado com o título de Trop de bonheur, que ganha o Prêmio Jean-Vigo 1994.

Cédric Kahn se lança numa série de adaptações que revelam um belo ecletismo. Em 1998, ganha o prêmio Delluc por O Tédio, baseado no livro de Moravia. Em Roberto Succo, inspirado no livro-investigativo de uma jornalista e apresentado em competição em Cannes em 2001, ele retraça o percurso do assassino em série italiano. O diretor se volta para o thriller com Luzes Vermelhas (2004), adaptação de um livro de Simenon.

Com O Avião (2005), Cédric Kahn surpreende de novo, aventurando-se no território do conto para crianças. Em 2009, volta com o palpitante Arrependimentos. Dois anos depois, ele se mantém no registro dramático em Une vie meilleure, com um elenco formado por um jovem casal glamour, preso a graves problemas de endividamento.

Fontes:

http://www.adorocinema.com

http://www.imdb.com/name/nm0434806/

http://www.variluxcinefrances.com

 

 

Read more...


Perfume sob medida em Paris

Perfume sob medida

Quem nunca sonhou em experimentar uma fragrância exclusiva? E que corresponda perfeitamente, adaptando-se à sua pele? Um que nunca se sentirá em outra pessoa? Hoje isso é possível graças a certos artesãos que são especializados na criação de perfumes personalizados.

 

Stéphanie de Bruijn,perfumista-criadora, há mais de dez anos, oferece em seu atelier Parfum sur mesure a criação de fragâncias únicas.

Durante um primeiro encontro, o solicitante especifica seus gostos, as fragâncias que prefere,  as tendências que deseja seguir. Stéphanie de Bruijn cria logo depois três diferentes fragâncias que ela oferece durante um segundo encontro. Ela pode em seguida ajustar o que prende a atenção para que se torne perfeito.

A fórmula assim obtida é única e exclusivamente reservada ao responsável, que pode encomendar, à vontade, vidros de 100 ml de sua própria eau de parfum.

Stéphanie de Bruijn a commencé ses gammes en Parfumerie avec des notes de musique en passant dix années au conservatoire à jouer du piano, à étudier le solfège et l’art lyrique.
Après une formation scientifique, pendant laquelle cette élève douée avec une disponibilité totale pour apprendre, découvre avec bonheur les mystères de la biologie et de la physiologie végétale, Stéphanie de Bruijn fait ses premières armes de compositeur en fragrances à Grasse, lieu mythique et incontournable dans le monde du Parfum.

Elle joue des matières les plus simples aux plus précieuses et compose des sonates sur son orgue à parfums qui vont conquérir l’Orient comme l’Occident. Très vite, elle aime rencontrer et suivre ses clients pour que ses formulations leur collent littéralement à la peau.
Pour elle, le parfum est une émotion, un souvenir, il doit être rassurant, faire partie de soi. C’est aussi un atout de séduction et une façon de se mettre en valeur, d’avoir confiance en soi. Radieuse jeune maman de trois enfants, une petite fille et deux garçons, Stéphanie de Bruijn aime partager avec eux des instants de détente, de voyages et de découvertes. Une de ses odeurs préférées est celle du parfum de leur peau quand elle les câline…

Et c’est pour aller au bout de cette dimension profondément humaine qui donne tous ses sens à la Parfumerie, et offrir à la fois ses talents et son écoute, qu’elle ouvre en 2008 son propre lieu à Paris dans le 7ème arrondissement au 52 rue de l’Université.

Ce petit bijou, entre boudoir et laboratoire, offre son alcôve secrète aux adeptes, célèbres ou inconnus, les plus fervents des senteurs les plus précieuses et des combinaisons les plus personnelles.

Dans un univers qui joue la carte du noir laqué aux mystérieux tiroirs en contraste avec des murs capitonnés d’un liberty audacieusement british dans les rouges et les gris, Stéphanie de Bruijn vous reçoit dans une intimité feutrée pour découvrir avec vous la fragrance qui deviendra la vôtre, celle que vous avez toujours cherchée ou celle que vous désespérez de retrouver un jour !
Entre éprouvettes et flacons de collection, vous vous métamorphoserez avec délice en apprentis sorciers pour la magie d’un instant de pure émotion. On entre au 52 comme si on traversait le miroir du temps, il suspend son vol et retient son souffle en ce lieu pour mieux laisser murmurer les notes que Stéphanie de Bruijn va composer avec et pour vous, ou pour un être cher…

 

Chez l’Artisan Parfumeur, cinco etapas e três meses de espera são necessários antes de obter uma fragrância exclusiva. O primeiro encontro se faz em companhia de Pamela Roberts, diretora da criação dos perfumes. Durante esta entrevista, cada um expressa suas vontades, seus desejos e suas memórias que são então transmitidos ao “nariz responsável” pela criação deste perfume único. A segunda entrevista é o momento do encontro com o perfumista para descobrir os primeiros testes e escolher a base da composição, que servirá como referência para a produção do perfume.Durante a terceira entrevista, se descobre o perfume final, ao que se pode até mesmo dar um nome. Este perfume exclusivo e sob medida é então entregue em um frasco de 150 ml, embalado por Pascale Riberolles, artista mestre em vidro, e em dez sprays com 50 ml e rótulo personalizado, e com 5 mini-sprays de bolsa, todos apresentados em uma caixa de cetim.

Em 1976, Jean Laporte fundou L’Artisan Parfumeur, com o objetivo de valorizar o aspecto tradicional e artístico do perfume e, se inspirando de materiais naturais (flores, especiarias, frutas…), de recordações da infância (caçar borboletas, as brincadeiras nos dias de feriado,…) e de viagens olfativas (Dzongkha, Timbuctu,…).

Os elementos de base, as amoras silvestres e o almíscar fizeram  o primeiro dos perfumes frutados, brincando com notas almiscaradas e aromas de frutas vermelhas.

 

L’Artisan Parfumeur

L’Artisan Parfumeur est l’une des maisons de parfum les plus exclusives et iconoclastes au monde. Fort de notre imagination, de matières premières exceptionnelles et de parfumeurs visionnaires, nous avons une approche singulière de la parfumerie, véritable alchimie à l’origine des fragrances les plus envoûtantes, les plus insolites et les plus personnelles de ces dernières années.

L’Artisan Parfumeur est né à Paris en 1976 de la volonté de Jean Laporte, parfumeur-chimiste et pionnier du mouvement des parfumeurs de niche, puisant son inspiration dans la nature et motivé par le désir de faire les choses un peu autrement. Conjuguant classicisme et avant-garde, collaborations innovantes et obsession pour les matières d’exception, notre savoir-faire repose aujourd’hui sur une collection originale, parfois à la limite de l’extravagance. Cette alliance d’un savoir-faire artisanal et d’un véritable don pour la création contemporaine a su vaincre le cœur des inconditionnels de la parfumerie, en quête de produits de qualité, composés avec soin et authenticité. 

 Criador de muitos perfumes de destaque,Francis Kurkdjian coloca seu talento à disposição de qualquer pessoa que está em busca de um perfume original e único.
Em seu ateliê, este criador oferece  desde 2001 a produção de perfumes personalizados para atender os gostos e desejos da pessoa que o procura. Depois de várias conversas e reuniões, o criador oferece um perfume precioso e único, feito sob medida para o usuário. Divide-se então em dois frascos gravados, que se pode depois recarregar.

En visite chez Maison Francis Kurkdjian

Il n’est pas fils de parfumeur, il n’a pas non plus hérité d’une maison à Grasse, pourtant, alors qu’il n’avait que 15 ans, Francis Kurkdjian a décidé de devenir créateur de parfums. Depuis, sa success story en a fait le petit prince des nez parisiens. Petit flash back: à peinesorti de l’Ecole Internationale de Parfumerie ISIPCA de Versailles, notre surdoué du flacon crée à 25 ans sa première fragrance: Le Mâle de Jean-Paul Gaultier. Bingo. Suivront des dizaines d’autres réussites, dont Rumeur de LanvinArmani Mania ou encore l’Eau Noire de Dior

En 2001, il est le premier parfumeur à ouvrir son propre atelier de sur mesure. Ce département existe encore aujourd’hui: il vous en coûtera € 8000 pour avoir votre propre senteur exclusive. Pour ce prix-là, vous recevrez deux écrins contenant chacun un flacon gravé de 60 ml (rechargeable, évidemment). La marque Maison Francis Kurkdjian est ensuite fondée en 2009.

En visite chez Maison Francis Kurkdjian

En visite chez Maison Francis Kurkdjian

Francis Kurkdjian, ne en 1969, est un parfumeur francais d’origine armenienne. Diplome par l’ecole prestigieuse de parfumerie ISIPCA (Institut Superieur International du Parfum et de la Cosmetique et de l’Aromatique Alimentaire), il s’impose dans l’univers des senteurs comme etant un des createurs les plus celebres de notre temps.

Nous ne le savons peut-etre pas tous, mais il est a l’origine de beaucoup de parfums tres connus aujourd’hui.
Le Male de J-P Gautier (1995), Fragile (1999), Puissance 2(1999) ou encore Fleur du Male (2005) sont issus de sa conception. Mais plus recemment, il a elabore Le Parfum pour Elie Saab (2011). Il propose aussi des parfums sur mesure pour une clientele particuliere.
En 2009, Francis Kurkdjian decida de cree sa prope maison de parfum : Maison Francis Kurkdjian. Une nouvelle maison qui fait son entrée dans le monde de la Parfumerie de Luxe qui concoit des parfums rares.
Le plus connu est l’Aqua Universalis (2009), repris sous la forme de produit derive comme la bougie parfumee ou encore la lessive parfumee.
L’Aqua Universalis est un parfum qui s’ouvre sur des notes fraiches avec de la bergamote, du citron et de l’orange. Les notes de Coeur se composent  de fleurs blanches qui laissent place ensuite  a des notes boisees avec du bois de cedres notammment.
 ‘Un parfum est une emotion que l’on porte entre le vetement et la peau’ (Francis Kurkdjian) alors laissez vous porter…
 

En visite chez Maison Francis Kurkdjian

Sylvaine Delacourte, diretora de desenvolvimento dos perfumes da Maison Guerlain, oferece também a possibilidade de criar uma fragrância única que reflete os desejos e inspirações de seu criador.

 Durante uma entrevista inicial, ela acolhe o futuro usuário deste perfume,  oferecendo uma viagem à sua memória olfativa, uma “introspecção dos sentidos”, onde se misturam odores, sabores, cores e materiais.

É durante a terceira reunião que o “sumo” está pronto, juntamente em um frasco Baccarat, com uma capacidade de 500 ml, acompanhado de três outros frascos de 30 ml e vinte frascos de 60 ml. No total, dois litros de eau de parfum, o equivalente a um consumo de cinco anos!

Para saber mais sobre este universo da perfumaria parisiense, a Détour des Sens oferece rotas de descoberta ao encontro dos grandes perfumistas da capital. Durante um passeio com um guia-perfumista, cada um descobre novas fragâncias e testa seu nariz, ou visita de forma VIP as marcas de perfumarias da capital.

Sylvie Daumain, perfumista, adora duas coisas na vida: Paris e Perfumes.

Sua empresa chamada Détour des Sens  propõe dar uma volta em Paris e mostrar como a cidade é glamourosa e interpretada por perfumistas e suas criações.
Sylvie  lhes guiará para uma pequena “viagem” em Paris (3 horas, 45 €) aos perfumes parisienses, ou para um dia inteiro, incluindo almoço que associa sabores e sentidos no Apicius, o restaurante refinado de Jean-Pierre Vigato.

Le plaisir d’une expérience hors norme, lors d’une promenade dans Paris autour des plus grands parfumeurs, les plus rares aussi. Un voyage culturel et glamour à la fois, se terminant dans un café mythique de la capitale.

Envie de sortir des sentiers battus et découvrir un patrimoine unique au monde:
l’univers des parfums et de leurs créateurs
Rêver, partir, décoller en flânant dans Paris
Il existe des perles rares dans la Haute parfumerie française et dans la parfumerie plus confidentielle, un luxe accessible et de l’émotion en flacon, vous sentirez le parfum avec tous vos sens…..
Coaching parfum 
Une consultation particulière personnalisée - votre guide parfumeur vous accorde le temps nécessaire en plusieurs étapes (rencontre, recherche des fragrances, suggestions, …) pour trouver “Votre Parfum” ou vos parfums selon votre style, votre personnalité, vos goûts et votre environnement. Trouver l’accord parfait !
Tarif : forfait incluant 3 rendez-vous 250 € TTC

L’ARTISAN PARFUMEUR
Endereço: 32 rue du Bourg Tibourg, Paris 4e
Tel.:  +33 (0)1 48 04 55 66
www.artisanparfumeur.com

PARFUM SUR MESURE
Endereço: 52 rue de l’Université, Paris 7e
Tel.:  +33 (0)1 47 34 58 25
www.parfumsurmesure.com

DÉTOUR DES SENS

Tel.:  +33 (0)6 19 60 60 58
http://detourdessens.blogspot.com

FRANCIS KURKDJIAN
Endereço: 9 rue du Mont Thabor, Paris 1er
Tel.:  +33 (0)1 42 7740 33

www.franciskurkdjian.com

GUERLAIN
Endereço: 68 avenue des Champs Élysées, Paris 8e
Tel.:  +33 (0)1 45 62 52 57

www.guerlain.com

Fontes:

http://www.parfumsurmesure.com/fr-maison_stephanie_bruijn

http://br.franceguide.com/Sob-medida-joalheia-perfume-moda.html?NodeID=1&EditoID=228805

http://www.balibulle.com/post/2011/10/21/mon-odeur-a-moi/

http://www.traveler.es/viajes/mundo-traveler/articulos/el-perfume-una-historia-de-narices-por-las-calles-de-paris/2805

http://www.paperblog.fr/5717041/en-visite-chez-maison-francis-kurkdjian/

http://luxinseecparis.blogspot.com.br/2012/02/la-belle-parfumerie-de-francis.html

Read more...


Pascal Obispo

Hoje vim falar de um grande cantor e compositor francês, Michel Pascal Obispo – www.pascalobispo.com 

Pascal Obispo nasceu em 08 de janeiro de 1965 em Bergerac , na França.

Seu nome é um anagrama do nome do pintor Pablo Picasso

Pascal Obispo começou a cantar em 1980Ele conseguiu seu primeiro contrato de gravação, em 1990, Le long du fleuve.

 

Com seu segundo álbum, Plus  que tout au monde  vendeu mais de 2 milhões de álbuns, suas músicas se tornaram um sucesso popular.

Em 1994 lançou Un Jour comme aujourd’hui.

Em 1996 Superflu

Em 2001 Millésime Live

D’un piano a l’autre (C’est la musique)

Il faut du temps

Algumas de suas canções mais famosas são “Plus que tout au monde”,“Tombé pour elle”, “L’importante c’est d’aimer”, “Personne” e “ Fan ”.

Plus que tout au monde

Tombé pour elle

L’important c’est d’aimer

Personne

Fan

Em 2007  lançou Les Fleurs du Bien (um jogo com Les Fleurs du mal  de Baudelaire), ele faz alusões a Rosa Parks , Pablo Picasso e outros.

Les fleurs du bien

Rosa

Libre comme Picasso

Em 2007 Les Fleus de Forest

Em 2009 lançou The Magic World of Captain Samouraï Flower

C’est l’occasion de découvrir son concept du Captain Samourai Flower et du Magic Flower Orchestra !

Pascal fait tout, même sa première partie, seul au piano. Ensuite, il devient le Captain Samourai Flower pour son odysée écologique.

La Valse Des Regrets

Le drapeau

Idealiste

Si je manquais de ta peau

En juin 2010, après avoir reçu un accueil mitigé du public pour son album Welcome to the Magic World of Captain Samouraï Flower, Pascal Obispo se lance dans la réalisation d’une comédie musicale intitulée Adam et Ève.

Son objectif est de créer un spectacle musical moderne et poétique, qui parle d’amour et de musiques aux générations nées avec le Web.   Les représentations du spectacle ont eu lieu  au Palais des sports de Paris. Le 8 Octobre 2012, le DVD Événement du spectacle Adam & Eve la seconde chance sort dans les bacs, avec une édition collector composée de plus de 100 photos prises par Pascal Obispo lui-même.

L’ALBUM II sort également avec des titres plus pop rock, comme Qui a dit qu’on naissait égaux ou Pas aux normes et Oh embrasse-moi que Pascal Obispo reprendra peut être lors de sa prochaine tournée .

Adam et Eve

“Adão e Eva”, a última comédia musical realizada por ele, foi um fiasco crítico e comercial e parte dela teve que ser anulada.

Pascal Obispo acabou de lançar  MillesimeS

Millésimes

O primeiro Best of da carreira do artista, contendo demos raramente difundidos e vários títulos inéditos como « Tu m’avais dit », escolhido como clipe para defender o álbum. O disco será seguido pela turnê, « MillésimeS ».Esta compilação é para celebrar seus vinte anos de carreira.

Tu m’avais dit

lundi 7 Janvier 2013, est sorti le best of attendu “MillésimeS”, et Pascal Obispo continue sa promo avec un gros début d’année avant le début de la Tournée “MillésimeS” qui débute le 12 Mars 2013 !

@ObispoPascal : Plan Média - 42 dates Tournée "MillésimeS" - Replay TV Radio article de Presse
En 1992, Pascal Obispo sort son premier single “Plus que tout au monde”, un titre qui demeure encore aujourd’hui populaire. Vingt ans après, le chanteur, auteur et compositeur, publie son premier best-of, qu’il a choisi d’intituler “Millésimes” en référence à l’un des ses titres les plus connus, sorti en 2001. Sur cette compilation, on retrouvera son nouveau single “Tu m’avais dit”, et bien évidemment le meilleur : les tubes “Lucie”, “Tombé pour elle”, “Fan” et “La prétention de rien”, mais également quelques-uns des titres qu’il a composés pour d’autres, qu’il interprète à son tour. C’est le cas notamment de “Ma liberté de penser” et “Tu trouveras”, et d’extraits de sa dernière comédie musicale “Adam & Eve” : “Ma bataille” et “Rien ne se finit”.

Obispo usou sua popularidade para ajudar nos trabalhos humanitários, particularmente, a luta contra a Aids, e para o Restos du Coeur, participando dos concertos dos Enfoirés.

L’important c’est d’aimer (sidaction)

Aimer / Enfoirés 2002 / Pascal Obispo

Je Suis Un Homme – Pascal Obispo – Enfoirés 2010

Ele já trabalhou com muitos outros artistas bem conhecidos, tais como Jean-Jacques Goldman , Florent Pagny , Johnny Hallyday ,Patricia Kaas , Amel Bent , e Natasha St-Pier .

Jean-Jacques Goldman & Pascal Obispo – Allumer le feu

Florent Pagny, Pascal Obispo – Je Laisse Le Temps Faire

johnny hallyday-pascal obispo rock n roll attitude 1998

Patricia Kaas & Pascal Obispo ~ “L’aigle noir” (1998)

Natasha St Pier et Pascal Obispo – Mourir demain

 

Editora Soleil lança Les Chansons de Pascal Obispo

Les Chansons de Pascal ObispoA editora francesa Soleil  lançou o álbumLes Chansons de Pascal Obispo, uma coletânea de diversos autores cujo temas são as canções de Obispo.

Pascal Obispo é um compositor e cantor francês, nascido em 1965, conhecido pelo seu visual de cabeça raspada.

O álbum de 96 páginas traz 15 histórias de autores diferentes (Cyril Trichet, Loic Nicoloff, Christophe Alliel, André Chéret, Cyril Pontet, Federico Bertolucci, Patricia Lyfoung, Ciro Tota, Thierry Girod, Nicolas Guenet, Eric Liberge, Adrien Floch, Philippe Briones, Serge Fino, JF Di Giorgio, Frédéric Genêt e Marc N’Guessan) interpretando a obra do cantor.

Les Chansons de Pascal Obispo

 

 

 

 

Entre as canções adaptadas, estão: Quelqu’un Nous Appelle, Fan, So Many Men, Les Meilleurs Ennemis, Millésime, Mourir Demain, Pas Besoin de Regrets, Neil Armstrong o Gagarine, Personne, Soledad, Zinedine, Tombé pour Elle, Samourai e Rosa. A editora descreve o álbum como uma comédia musical faraônica.

 


Fontes:

http://fr.wikipedia.org/wiki/Pascal_Obispo

http://mverite.blogspot.com.br/2011/06/pascal-obispo.html

http://www.universohq.com/quadrinhos/2006/n05122006_04.cfm

http://amusicafrancofona.blogspot.com.br/2012/12/pascal-obispo-sort-son-nouveau-clip.html

http://paradispop.skyrock.com/7.html

http://tele.tvmag.lefigaro.fr/_news/programmes-tv-stars-pascal-obispo-evenement-figaro.html

http://www.chartsinfrance.net/Pascal-Obispo/news-83610.html

Read more...


John Galliano retorna à moda com apoio de Oscar de la Renta

Autêntico, criativo e muito polêmico: John Galliano está de volta, com a ajuda do amigo Oscar de la Renta ©Reprodução

John Galliano em uma de suas entradas triunfais antes da polêmica que o afastou da moda (Foto: Reprodução)

Estilista John Galliano prepara retorno após ser demitido da Dior

O estilista John Galliano, 52, está preparando seu retorno para a indústria de moda com uma residência temporária no estúdio de Oscar de la Renta, em Nova York, informou a revista “Vogue” nesta sexta-feira (18).

De acordo com o “WWD”, Oscar de la Renta convidou o ex-diretor criativo da Dior, demitido em 2011 da marca francesa, para passar cerca de três semanas em seu estúdio em Nova York, nos últimos preparativos para o desfile de Inverno 2013.


“John et moi, nous nous connaissons déjà depuis de nombreuses années et je suis un grand admirateur de son talent. Il a beaucoup travaillé sur lui pendant sa convalescence et je suis heureux de lui donner l’opportunité de revenir dans le monde de la mode et de le réaclimater dans un environnement dans lequel il a été si créatif. Je pense que John est sur la bonne voie. Tout le monde à le droit à une seconde chance, surtout quelqu’un d’aussi talentueux que John Galliano.”

“John e eu nos conhecemos há muitos anos e sou um grande admirador de seu talento. [...] Ele tem se esforçado bastante em sua recuperação e estou muito feliz em oferecê-lo a oportunidade de mergulhar novamente no mundo da moda e de se reaclimatar em um ambiente onde ele tem sido tão criativo”, comentou de la Renta. Segundo nota publicada no jornal britânico “The Telegraph”, a ideia do convite surgiu de Anna Wintour, editora-chefe da “Vogue” americana, e amiga de Galliano e de de la Renta.

John Galliano, Anna Wintour e Oscar de la Renta ©Reprodução

Galliano confessou ao “WWD” ter ficado internado em uma clínica de reabilitação: “Sou alcoólatra e estive em recuperação nos últimos dois anos. Antes da minha sobriedade, cheguei à loucura. Diz e fiz coisas que machucaram os outros, especialmente membros da comunidade judaica. Expressei meu pesar pela dor que causei e continuo comprometido em me corrigir com aqueles que machuquei.”

“Je suis un alcoolique. Et j’ai été en désintox’ les deux dernières années. Plusieurs années avant ma sobriété, je suis descendu au fond du gouffre. Mes propos ont blessé des gens, en particulier la communauté juive. Je reste déterminé à faire amende honorable auprès de ceux que j’ai blessé. Je suis extrêmement reconnaissant à Oscar de la Renta de me permettre de côtoyer un studio de design. Son soutient et sa confiance sont une leçon d’humilité.”.

A saída repentina de Galliano da posição da estrela em uma das marcas mais reconhecidas do mundo da moda abalou o setor e deixou por vários meses a LVMH –o conglomerado dono da Dior e líder internacional no segmento de luxo– sem um líder criativo de sua principal marca de alta costura.

O designer de moda John Galliano (no meio) e seu advogado, Stephane Zerbib (à esquerda), chegam para uma audiência na polícia, em Paris, no dia 28 de fevereiro, por ofensas racistas proferidas em um bar. Ele foi demitido da Dior após o incidente (Gonzalo Fuentes/Reuters)

O designer de moda John Galliano (no meio) e seu advogado, Stephane Zerbib (à esquerda), chegam para uma audiência na polícia, em Paris,  por ofensas racistas proferidas em um bar. Ele foi demitido da Dior após o incidente (Gonzalo Fuentes/Reuters)

 

Um tribunal francês impôs a Galliano em 2011 uma multa de € 6 mil (cerca de R$ 16,6 mil), por considerá-lo culpado de comportamento antissemita. Galliano disse na época que o vício em drogas e bebida o deixou fora de controle.

“Ele tem se esforçado muito, e bem, para sua recuperação e estou feliz por lhe dar a oportunidade de reemergir no mundo da moda e reaclimatar-se em um ambiente onde tem sido tão criativo”, disse De la Renta.

Depois de sua demissão da Dior, Galliano desenhou o vestido de casamento da modelo britânica Kate Moss.

Galliano e Kate no CFDA Awards de 1998. O estilista foi premiado por sua coleção Dior couture SS 1998.

Houve rumores de que ele seria o novo diretor criativo da grife Schiaparelli, mas a informação foi desmentida.

Galliano é considerado um dos nomes mais talentosos e criativos da moda. Seus desfiles para a marca que leva seu nome e para a Dior eram famosos pelo drama e beleza teatral.

John Galliano Fashion Designer John Galliano poses with models during the Christian Dior Haute Couture fashion show for A/W 2009/10 on July 6, 2009 in Paris, France.

Linda Evangelista, top suprême

Linda Evangelista, John Galliano, Naomi Campbell et Gisele Bündchen, lors du 60e anniversaire de la maison Christian Dior.

Questionado se planejava contratar Galliano como seu sucessor quando decidir se aposentar, de la Renta, que tem 80 anos, negou a ideia, mas admitiu ser bem-vinda a injeção de criatividade. “Quando estou trabalhando em uma coleção, sento com todos os meus assistentes. [...] Eu não sou um solitário. Escuto a todos”, comentou o estilista dominicano, radicado nos Estados Unidos.

De qualquer maneira, o retorno de Galliano é visto de maneira positiva por todos os veículos de moda. A editora-chefe da “Vogue” britânica, por exemplo, revelou no site da revista estar “deliciada” com a notícia. Até representantes da Anti-Defamation League (ADL) afirmaram: “Nós acreditamos que indivíduos podem mudar seus corações e mentes. [...] O Sr. Galliano trabalhou arduamente em mudar sua visão de mundo e dedicou um montante de tempo significativo para pesquisar, ler e aprender sobre os prejuízos do antissemitismo e da intolerância”.

O FFW também está feliz com a notícia e acredita na recuperação e no retorno saudável de Galliano, um dos estilistas mais brilhantes da história da moda contemporânea.

Estilista John Galliano prepara retorno após ser demitido da Dior</p><br /><p>O estilista John Galliano, 52, está preparando seu retorno para a indústria de moda com uma residência temporária no estúdio de Oscar de la Renta, em Nova York, informou a revista "Vogue" nesta sexta-feira (18).</p><br /><p>O estilista britânico, demitido da Dior em 2011 depois que uma câmera o flagrou fazendo comentários antissemitas em um café de Paris, vai passar as próximas três semanas com De la Renta, enquanto se prepara para seu próximo desfile na New York Fashion Week.</p><br /><p>"John e eu nos conhecemos há muitos anos e eu sou um grande admirador do seu talento", afirmou De la Renta à revista.</p><br /><p>A saída repentina de Galliano da posição da estrela em uma das marcas mais reconhecidas do mundo da moda abalou o setor e deixou por vários meses a LVMH --o conglomerado dono da Dior e líder internacional no segmento de luxo-- sem um líder criativo de sua principal marca de alta costura.</p><br /><p>Um tribunal francês impôs a Galliano em 2011 uma multa de € 6 mil (cerca de R$ 16,6 mil), por considerá-lo culpado de comportamento antissemita. Galliano disse na época que o vício em drogas e bebida o deixou fora de controle.</p><br /><p>"Ele tem se esforçado muito, e bem, para sua recuperação e estou feliz por lhe dar a oportunidade de reemergir no mundo da moda e reaclimatar-se em um ambiente onde tem sido tão criativo", disse De la Renta.</p><br /><p>Depois de sua demissão da Dior, Galliano desenhou o vestido de casamento da modelo britânica Kate Moss. Houve rumores de que ele seria o novo diretor criativo da grife Schiaparelli, mas a informação foi desmentida.</p><br /><p>Galliano é considerado um dos nomes mais talentosos e criativos da moda. Seus desfiles para a marca que leva seu nome e para a Dior eram famosos pelo drama e beleza teatral.
Fontes:
http://vogue.globo.com
http://ffw.com.br/noticias/
http://revistaquem.globo.com/Moda/noticia/2013/01/quem-na-moda-john-galliano-volta-ao-trabalho-com-oscar-de-la-renta.html
http://www.christinapitanguy.com.br/
http://www.gazetadopovo.com.br/viverbem/moda/conteudo.phtml?id=1337069
http://www.meltyfashion.fr/john-galliano-fait-son-comeback-chez-oscar-de-la-renta-a151750.html
http://www.rtl.fr/actualites/info/people/article/mode-vers-un-retour-de-john-galliano-7757078827

Read more...


La Vie d’une Autre – A vida de outra mulher

 

A Vida de Outra Mulher (La Vie d’une Autre ) – França/ Luxemburgo/ Bélgica, 2012 

Protagonizado por Juliette Binoche e Mathieu Kassovitz.

A trama conta a história de Marie (Juliette Binoche), uma mulher de 40 anos que acorda pensando ter 25. Esqueceu-se de 15 anos de sua vida e ainda vive uma história de amor que já terminou. Agora, ela tem uma segunda chance de reconquistar o amor de sua vida.

Em seu primeiro trabalho como diretora, Sylvie Testud faz uma viagem no tempo com sua personagem principal, Marie Speranski (Juliette Binoche), jovem de 26 anos que, depois de uma noite de amor, salta no tempo e acorda aos 41.

Ela agora é casada, rica (mora em  apartamento com vista privilegiada para a Torre Eiffel) e tem um lindo filho. Muitas coisas ocorreram nesses 15 anos e Marie não se lembra de absolutamente nada. Mais: sua vida está longe de ser o que projetava quando jovem.

Histórias de lapsos temporais que deixam um ou mais personagens perdidos já foram bem exploradas no cinema e, em geral, dão margem a comédias nas quais vemos as desventuras do protagonista tentando entender o que aconteceu. A Vida de Outra Mulher não é uma comédia, mas usa do mesmo expediente para pontuar a história com humor, que surge de Marie tentando descobrir como funciona a rotina de sua vida agora.

Essas situações divertidas servem de alívio cômico para o que parece ser o objetivo maior do filme: propor uma reflexão sobre como conduzimos nossas vidas por caminhos indesejados sem termos noção disso. A Marie de 41 anos é uma mulher poderosa, temida, que dá pouca atenção ao filho e marido e passou os últimos anos dedicada à carreira de executiva. Não à toa está prestes a se separar de seu grande amor – a paixão que sentia por aquele homem com quem dormiu se desvaneceu no salto temporal. Durante o filme vemos Marie tentando recuperar o amor do marido e descobrir que atitudes tiraram sua vida dos trilhos que imaginava aos 26.

Neste filme Mathieu Kassovitz (O Fabuloso Destino de Amélie Poulain) interpreta o marido desiludido e indiferente.

Tem seus momentos divertidos e nos leva à reflexão sobre nossas ações e suas consequências ao longo do tempo.

A Maestria de Juliette Binoche

Por Fabricio Duque 
É possível uma atriz permanecer fantástica a cada novo trabalho? Sim, Juliette Binoche integra este time, reinventando-se, sem repetir interpretações. Em cada filme, assistimos uma interpretação diferenciada. E fazemos a pergunta óbvia: quantos papéis cabem nesta atriz? Sem sombra de dúvidas, Juliette busca superar a si mesma, e pelo fator mais simples: utilizando-se apenas da extrema competência de realizar o que explicitamente já está comprovado e documentado. Um excelente exemplo de autocompetição. Ela passeia pelo drama e pela comédia, pelo aprofundamento e pela futilidade, pela sutileza e pelo exagero, de forma tão equilibrada, que chega a ser perturbador a outras atrizes, que precisam “rebolar” muito para conseguir um terço de sua maestria. Em “A vida de outra mulher” está magnífica, corroborando a ideia de perfeição ao vê-la em cena. Juliette entrega-se tão naturalmente que quebra o limite entre ficção e realidade, é quase um documentário.
A sinopse não consegue transmitir a grandiosidade da película em questão. Posso adiantar que durante a exibição até o seu término, não há quebra de ritmo. É de um equilíbrio narrativo inteligente, divertido, com tom de surpresa e completamente existencialista. Este último totalmente metafórico, partindo do conceito de filme fantástico. Será que isso mesmo aconteceu? Será um lapso de loucura? Será uma defesa do subconsciente para que possa resolver os erros de sua vida? Não, não é explicado.

 

A Diretora
Sylvie Testud (nascido em 17 de janeiro de 1971) é uma atriz francesa, roteirista e diretora. Sua carreira no cinema começou em 1991. E já ganhou duas vezes o Prêmio César (Oscar do Cinema Francês) por “Stupeur et tremblements” e “Sagan”.
É a estreia de Sylvie Testud na direção de um longa-metragem, baseando-se no romance homônimo de Frederique Deghelt, dividindo o roteiro com Claire Lemaréchal. A diretora, atriz de inúmeros filmes franceses (como “Piaf”, “Meu Pai, meu Filho”). Ela tinha realizado um curta-metragem em 1998, “Je Veux Descendre”. Sylvie, desde já, mostra competência no que faz, e acerta em cheio ao escalar Juliette Binoche que contracena com o excelente ator Mathieu Kassovitz (de “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”). Pesquisando sobre a vida da cineasta estreante, percebemos a elegância das cenas, talvez por ter trabalhado com Agnes b. (da revista ELLE). Tudo ajudou. Inclusive a música, que resume e funciona como mudança temporal, destaque para Blondie e Cat Power.
E assim, “A vida de outra mulher” é um filme único, fantástico, excelente. Mais do que recomendado, é obrigatório aos amantes da sétima arte (e também aqueles que escolhem filmes por diversão).

 

Fontes:

http://www.vertentesdocinema.com/2012/08/a-vida-de-outra-mulher.html

http://www.adorocinema.com/filmes/filme-189522/fotos/detalhe/?cmediafile=20210692

http://www.cineclick.com.br/filmes/ficha/nomefilme/a-vida-de-outra-mulher/id/18311

Read more...


Bellevilloise

Difícil definir La Bellevilloise. Shows, festas, exposições, cursos, teatro: acontece de tudo um pouco nesse centro cultural alternativo que é um dos lugares mais legais do 20ème arrondissement.

La Bellevilloise é um espaço multidisciplinar, que ocupa 2.000m2 de um antigo edifício construído em 1877, antiga sede social de uma cooperativa de trabalhadores do leste europeu. Trata-se de um local dedicado a todas as  formas de expressão como concertos, exposições, espetáculos, desfiles e projeções.

A programação de shows é bastante variada, com rock alternativo, folk e releituras da chanson francesa. La Bellevilloise também organiza bailes  periodicamente.

La Bellevilloise oferece exposições continuamente, além de projeções, concertos. E também a possibilidade de tomar um drinque, de jantar ou de virar a noite nos diversos andares:
- O Clube: para uma noite musical de tendência múltipla (eletrônica,groove…), concertos e DJ sets.
- O Halle aux Oliviers e sua varanda: para experimentar uma cozinha deliciosa em um espaço verde em plena Paris. Jazz, música eletrônica ou folk-brunch todos os domingos.
- O Plateau Loft e o Plateau Forum: encontros, exposições…

 

La Bellevilloise é na realidade um dos endereços dinâmicos de Paris.

La Bellevilloise, como já falei no início do post, não se encontra em um dos bairros elitistas e turísticos de Paris. Ela está no bairro 20, região mais conhecida pelo nome de Belleville. Belleville, hoje, é o que foi Montparnasse nos anos 1920 e Saint Germain nos anos 1950, quer dizer, um centro de agitação cultural com pequenos teatros, casas de espetáculos e clubs de música.

Pois bem, nesta Belleville bem parisiense o La Bellevilloise é o endereço chave.

Confira a programação completa no site labellevilloise.com.

Histoire de la Bellevilloise

Un lieu indépendant, artistique, festif

Fondée en 1877 aux lendemains de la Commune, La Bellevilloise, première coopérative parisienne, avait pour projet de permettre aux gens modestes l’accès à l’éducation politique et à la culture.
Lieu de résistance, des premiers échanges commerciaux « du producteur au consommateur », commerce équitable avant l’heure, et de spectacle, La Bellevilloise à joué de 1910 à 1949 un rôle de premier plan dans la vie économique et culturelle de l’Est Parisien.
Depuis 2005, Renaud Barillet, Fabrice Martinez et Philippe Jupin, un trio d’agitateurs venu du spectacle vivant, de la production et des médias ont rouvert aux Parisiens ce lieu de mémoire de l’histoire de Paris avec un projet fort : redonner vie à l’esprit de La Bellevilloise en créant un grand lieu indépendant d’activités artistiques et évènementielles pour le public, les entreprises et les médias, unique à Paris.

Certaines manifestations sont gratuites , sinon, le prix est normal ou dérisoire..
Un beau café pour admirer Paris “Bar-Tapas au Forum et sur la Terrasse”

LE  FORUM  - Cafés-concerts,émissions en direct,expos, évenements,rendez vous

La Halle aux oliviers- Café e Restaurante

 

 Terrasse & extérieurs

 

Le Loft

 

 

Le Club

 

La Bellevilloise
19-21, rue Boyer, 75020, Paris
Metrô Gambetta (linhas 3 e 3 bis)Metro Gambeta – saída – Matin Nadaut  ou Ménilmontant (linha 2)
Quarta e quinta, das 19h à 1h. Sexta, das 19h às 2h. Sábado, das 11h ou 18h (de acordo com a programação) até as 2h. Domingo, das 11h30 às 17h ou meia-noite, dependendo da programação.
Fone: 01 46 36 07 07
Site: labellevilloise.com

Aproveitando a viagem:

  • O ponto turístico mais próximo é o Cimitière du Père Lachaise.
  • Ali pertinho, o Parc de Belleville tem uma bela vista de Paris.
  • Aproveite para conferir a programação de shows da Maroquinerie, que fica bem do lado.
  • Antes ou depois, passe na Les Noces D’Or para comer uns doces argelinos.

 

Fonte:

http://parisladob.wordpress.com

http://www.conexaoparis.com.br

http://www.labellevilloise.com/notre-histoire

http://www.opusmang.com

http://www.bonvoyagetur.com.br

Read more...

Flickr

RSS URL not defined

Entre em contato!

Tel. 55 11 9641 0432

Áreas atendidas – São Paulo, SP
_Higienópolis
_Pacaembú
_Perdizes
_Bela Vista
_Outras áreas: consulte!

Visite minhas redes sociais:

Scroll to top