Invent


Fête de la Musique 2015

Sucesso internacional, fenômeno social, a Festa da Música será dia 21 de junho em Paris. Ande pela cidade e aproveite este dia festivo.

No dia 21 de Junho, a Festa da Música, grande manifestação popular e gratuita, aberta a todos os participantes amadores ou profissionais, invade as ruas e as praças das  cidades, misturando  todos os gêneros musicais e dirigindo-se a todos os públicos.

Fête de la Musique é um animado festival de música gratuito, onde centenas de músicos se reúnem nas ruas, bares e cafés de Paris, dando apresentações que vão de jazz e rock ao hip hop e música eletrônica.

A ideia na origem da Festa da Música 

Criada por Jack Lang, ministro da Cultura, com base numa ideia do seu diretor de Música e a Dança, Maurice Fleuret, que  percebeu que cinco milhões de pessoas, entre elas um jovem em cada dois, tocavam um instrumento de música na França, a Festa da Música teve início em 21 de Junho de 1982, dia do solstício de Verão, onde a noite é a mais curta e, por isso, propícia a uma festa que dura até à manhã seguinte.

“Faça música, festeje a música” 

A mobilização de músicos profissionais ou amadores, a nova atenção dada a todos os gêneros musicais, as entradas gratuitas nos concertos e a adesão cada vez maior da população, fizeram em alguns anos da Festa da Música uma das grandes manifestações culturais francesas. O seu  território privilegiado é o ar livre: ruas, praças, jardins, pátios de museus, etc. É a ocasião para as grandes instituições musicais saírem dos seus muros ou receberem outros gêneros musicais. A festa oferece também a possibilidade de criar intercâmbios entre a cidade e os subúrbios, de proporcionar cultura às comunidades rurais, propor concertos nos hospitais e nas prisões, e fomentar de  forma natural a democratização do acesso às práticas artísticas e culturais.

Presente nos cinco continentes

A Festa da Música começa a ser exportada em 1985, pela ocasião do Ano Europeu da Música. Sucesso internacional e fenômeno social, a Festa, que está atualmente presente em mais de 120 países nos cinco continentes, é também portadora, no dia 21 de Junho, de novas tendências musicais, que anuncia ou que traduz: renovação das músicas tradicionais, explosão das músicas do mundo, aparição do rap e da música techno, regresso ao carnaval musical, etc.

La Fête de la Musique 2015 à Paris et en île de France

Hoje, a Fête de la Musique  ( Festa da Música ) conquistou o mundo : mais de 120 países participam e concertos são realizados em 700 cidades além das fronteiras  francesas. Uma demonstração do poder da música.  Em 2014  foram organizados mais de 17.000 shows  . Momentos musicais que atraíram mais de 10 milhões de franceses nas ruas de cidades e vilarejos .

O tema desta 34ª edição da Fête de la Musique é  ” Vivre ensemble la musique ” a celebração do espírito de comunhão e  de partilha que a música desperta ao redor do globo . A música aproxima, inspira, suscita. Mais do que nunca esta edição é a ocasião de celebrar o viver junto, valor fundamental desta grande festa  .  Música ao vivo juntos!

Fête de la musique à Paris 2015

“Vivre ensemble la musique est un état d’esprit. Vivre ensemble la musique est un mot d’ordre. Vivre ensemble la musique, c’est avant tout célébrer le pouvoir fédérateur de la musique.”

“La musique incarne cette résistance joyeuse à tout ce qui pourrait nous éloigner les uns des autres : c’est cela que nous célébrerons tous cette année en descendant dans la rue pour vivre ensemble la musique.”

Como aproveitar ao máximo esse dia? Alguns preferem olhar a programação e planejar cuidadosamente o seu roteiro, outros gostam de andar pelas ruas e tropeçar em eventos espetaculares (ou nem tanto).

Uma dica importante é ter sempre um mapa de Paris na mão, digo isso porque o transporte público tende a falhar nesse dia, os ônibus e metrôs estão sempre muito cheios, fica a dica por uma boa caminhada.

Para obter um sabor da autêntica cultura de Paris, não deixe de curtir o Fête de la Musique 2015.

É só clicar aqui para ver toda a programação da Fête de la musique à Paris 2015
TOUS LES ÉVÈNEMENTS DE CE PROGRAMME – clique aqui para conferir !!!

 

 

Fontes:

http://fetedelamusique.culturecommunication.gouv.fr/

http://www.sortiraparis.com/scenes/concert-musique/guides/53382-la-fete-de-la-musique-2015-a-paris-et-en-ile-de-france

http://www.timeout.fr/paris/concert-soiree/fete-de-la-musique

http://www.evous.fr/Fete-de-la-Musique-Comment-se-deplacer-a-Paris-1133097.html

http://www.france.fr/pt/festas-e-festivais/festa-da-musica.html

http://comovaiparis.com.br/muita-musica-paris-vai-entrar-em-festa/

https://quefaire.paris.fr/programme/59097_fete_de_la_musique_2015

Read more...


Lundi de Pentecôte (Pentecostes) feriado na França.

Hoje segunda é feriado, lundi de Pentecôte (Pentecostes).

 E como não poderia deixar de ser, existe um bolo para a ocasião o colombier de la Pentecôte (fotos) a base de amendoas. A tradição do bolo esta praticamente esquecida, são poucos os lugares que ainda o fazem. Em alguns lugares, nas tradicionais chocolaterias e docerias eles ainda preservam a tradição.

 

gâteau porte-bonheur

Gâteau Porte-Bonheur de la Pentecôte ou Colombier

À noter que le gâteau dit « Le Colombier » est une marque déposée par le syndicat des pâtissiers, confiseurs et chocolatiers de Marseille le 11 avril 1904. Cependant dans la version Marseillaise le gâteau est aux amandes et au melon, coloré au sirop d’abricot et parfumé au kirsch.

DSC_1366

 

http://1-ps.googleusercontent.com/x/www.paperblog.fr/media.paperblog.fr/i/324/3247453/colombier-pentecote-L-cIFQ6P.jpeg.pagespeed.ce.7KYPxE_seb.jpg

D’abord pour mettre l’eau à la bouche des gourmands, sachez qu’il est fait à base d’amandes et de melon,  et puis on lit ici ou là des variantes : couvert de sucre…ou nappé d’abricot, parfumé au kirsch et d’une façon générale à l’intérieur y est cachée une colombe.

Não poderia deixar vocês sem a historia do bolo em questão.

Sainte Genevieve, padroeira de Paris foi chamada para socorrer a cidade. Depois de um discurso caloroso para os Lutéciens incentivando-os a resistir ao invasor Átila, a pastora de Nanterre viu uma pomba pousar em seu ombro.

No final Átila foi afastado, Genevieve estava certa de incitar o povo a resistir. Os pâtissiers (no século V, eram padeiros) apressaram-se a fazer na forma de uma pomba, um biscoito tradicional da idade média, les oublies.

L’oublie est une gaufre fine qui date du Moyen-Age.

Reconstitution graphique d’une oublie d’après la palette de fer placée ci-dessous.
Face interne d’une palette de fer à oublie, Musée de la Gourmandise,Hermalle-sous-Huy.
Les gaufres ou « oublies » Les gaufres datent du moyen âge. A l’époque, une confrérie fût crée par Saint Louis, celles des oubliyeurs (oublieurs, oublayeurs ou oubloiers) qui fabriquaient un biscuit cuit entre deux fers et dérivés des hosties. Fines roulées en forme de cornet ou de bâton, et décorées d’inscriptions et d’images pieuses. […]

Voltando a programação da cidade , o que está aberto ou fechado por Paris?

 Lundi de Pentecôte à Paris : ouvert ? fermé ?

Crédits photo : Musée d'Orsay

Le 25 mai, lundi de Pentecôte, est un jour férié, mais rassurez-vous, tout n’est pas fermé à Paris ! Si vous cherchez de quoi vous distraire et vous faire plaisir, voici quelques suggestions pour occuper petits et grands. Retrouvez aussi, sur Que faire à Paris tous nos bons plans et idées de sorties.

 

Fontess:

http://quefaire.paris.fr/

http://www.paris.fr/accueil/societe/ouvert-ferme/rub_9651_actu_144322_port_24616

https://vanessainparis.wordpress.com/2013/05/20/lundi-de-pentecote-pentecostes-feriado-na-franca/

http://mere-grand.over-blog.com/article-pentecote-et-le-colom

http://stephanedecotterd.com/2014/06/06/gateau-porte-bonheur-de-la-pentecote-ou-colombier/

 

Read more...


Quartier de la Butte aux Cailles

Uma placa ao lado do metrô  indica o caminho deste charmoso bairro. foto: Ana Paula Cardoso

 Existe um lugar em Paris que se chama Butte aux Cailles. Trata-se daqueles “segredinhos bem-guardados” pelos parisienses e é considerado um quartier à parte da capital francesa.

Onde ?

13ème arrondissement de Paris, limite 14ème. Entre a Porte d’Italie e o Parc Montsouris.

 

 Tem um ambiente de cidade pequena, com ruelas charmosas e onde ainda se pode observar arquitetura de pequenas casas, com seus jardins ou muros de heras, e de prédios que só vamos encontrar no interior do país.

Rue de la Butte aux Cailles

A rua de la Butte aux Cailles é a coluna vertebral da Butte. Calma durante o dia, ela se anima muito rapidamente a noite logo que os numerosos bares e restaurantes  abrem. Uma rua agradável para  beber algo por que ainda continua a ser bem confidencial e  chama a atenção de um público de habitués.

Percorrendo a rue de la Butte-aux-Cailles, vocês encontrarão lindas passages que vocês cruzarão à direita e à esquerda da rua (passage Boiton por exemple)

Passage Buiton

Passage Boiton – vu d’en haut

Paris - Butte aux Cailles

 passage du Moulinet.

Paris - Butte aux Cailles - Miss Tic

butte aux cailles paris

Pegue em seguida a rue des 5 diamants, depois a sua esquerda a passage Barrault.  Vocês encontrarão aí casas charmosas nos números 6, 9 et 9 bis.

Passage Barrault

No final da passage Barrault, vire à esquerda na rue Barrault e vá  em frente até a rue Daviel. Vire à direita.

petite alsace

Veja à sua direita o conjunto de casas à Colombage.  Esta propriedade particular do começo do século vinte se chama « la Petite Alsace ».

Paris - Petite Alsace

Paris - Petite Alsace

La Petite Alsace, rue Daviel.

Entrée de la petite Alsace, au 10 rue Daviel, la butte aux cailles paris

Vocês também podem descobrir a Villa Daviel, cheia de casinhas bonitas.

Maison – Villa Daviel

É uma das numerosas ruas lindas escondidas de Paris.

Paris Daviel

Villa Daviel

Vire à direita na  rue Barrault, depois pegue a  rue Michal à sua esquerda, rua calma com o charme típico da Butte aux Cailles.

Paris - Butte aux Cailles  - street art

Paris - Butte aux Cailles

No final da  rue Michal,  vocês vão se encontrar atrás da Eglise Sainte-Anne-de-la-Butte-aux-Cailles,  construída no fim do século 19 para dar ao bairro uma igreja, que até então não possuia.

Paris - Butte aux Cailles

rue michal

Vire à esquerda depois pegue a sua direita a rue Buot que, como a  rue Michal, é um lugar silencioso e agradável.
No final da rua, chegamos a Place de la Commune de Paris, ponto culminante da butte.

place de la commune de paris

Place de la Commune de Paris, onde uma Fonte Wallace  fica bem no meio.

Buttes aux Cailles

Place Paul Verlaine

Beber água da fonte em  Paris » Poço artesiano, place paul Verlaine, 75013 Paris

5 Place Paul Verlaine – 75013 Paris

5 Place Paul Verlaine

Paris - Butte aux Cailles - piscine

Na praça, a fachada de tijolos da piscina de la Butte aux Cailles, alimentada por um poço artesiano de onde jorra uma água naturalmente quente (28°C). Construida no começos dos anos 20 no lugar dos antigos bains-douches no estilo Art Nouveau, ela possui  3 piscinas que são abertas no verão

.La piscine de la Butte aux Cailles possède une une eau ferrugineuse qui provient d’un puits artésien

A sensação de quem chega ao bairro é de que saímos de Paris, mas estamos apenas a 5 minutos do metrô Place d’Italie.

Chez Gladines, um dos mais concorridos restaurantes locais. Comida farta, boa e barata. Foto: Ana Paula Cardoso

O lugar é quieto durante o dia, mas marcado por um agito noturno. Bares e restaurantes tradicionais agitam esse pequeno bairro-vilage e formam filas nas portas, especialmente o “Le Temps des cerises”, um restaurante cooperativado, sem patrão, sem telefone, mas com comida excelente.

Calmo pela manhã e agitado á noite, graças aos bares e restaurantes. Foto: Ana Paula Cardoso

La créperie de la Butte au 13: ne manquez pas la « québequoise » – pommes sirop d’érable !

O mesmo a dizer do “Chez Gladines” e do “Chez Mamane”, no primeiro, comida farta da região basca e no segundo, cuscuz marroquino da melhor qualidade.

Le meilleur couscous de Paris : Chez Mamane

Cette adresse est parfaite pour l’hiver, on y mange copieusement et la chaleureuse équipe vous fera rapidement oublier vos petits tracas de la vie

Chez Mamane- Carte : 10-15 euros

27 rue des 5 Diamants- 75013 Paris

01 45 89 58 87

Laurent Duchêne, (2, rue Wurtz).

“Boulangerie Legendre” – Rue de la Butte aux Cailles

Casas e prédios antigos, com muros de heras, são comuns ao bucólico bairro. Foto: Ana Paula Cardoso

Longe do circuito turístico, esse histórico pedacinho de Paris foi o refúgio de comunistas fugidos das ditaduras de parte da Europa nos anos 1930. Esquecido por Haussmann na época da revitalização de Paris, guarda resquícios da arquitetura medieval e hoje é um local de bares e restaurantes bacanas. Alguns grafiteiros e artistas da chamada street art estão pelos muros, dando um toque de modernidade ao lugar.

Paris - Butte aux Cailles - street art - Seth

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles - street art

Paris - Butte aux Cailles - street art

Paris - Butte aux Cailles - street art - Miss Tic

Mistic, uma das artistas de rua diz "o abuso do prazer é benéfico à saúde". Foto: Ana Paula Cardoso

Passage du Moulin des Prés, onde street artists como Philippe Baudelocque e Jef Aerosol deixaram suas marcas nas paredes.

Os franceses estranham quando algum estrangeiro vai lá e sempre perguntam, desconfiados, sobre quem contou sobre Butte aux Caille para nós.

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles - tour Albert

Vocês não podem deixar de perceber a Tour Albert que foge  um pouco do ambiente de prédios antigos. Construida em 1960, a Tour, que tem o nome de seus arquitetos, é na realidade o primeiro « gratte-ciel »   arranha céu construído na capital.

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles

Paris - Butte aux Cailles - Seth

Paris - Butte aux Cailles

Os nomes das ruas são mais uma graça do peculiar Butte aux Cailles. Foto: Ana Paula Cardoso

QUARTIER DE LA BUTTE AUX CAILLES : 

La butte aux Cailles est un petit quartier délimité au Nord par le boulevard Auguste Blanqui, au Sud par la rue de Tolbiac, à l’Ouest par la rue Barrault et à l’Est par la rue du Moulin-des-Prés.

A l’origine, c’était une colline recouverte de moulins à vent et où coulait la Bièvre. En 1543, Pierre Caille en devient propriétaire et donne son nom au quartier. 
Celui-ci est désormais connu pour être un endroit aux airs de petit village entouré de bâtiments célèbres comme la piscine de la Butte aux Cailles, le puits artésien, l’école des Télécoms ou celle d’Estienne. On y trouve de nombreuses maisons avec jardins, des restaurants ou encore bars, très fréquentés qui font de la Butte aux Cailles un village animé et aimé.

A deux pas se trouve egalement le Parc de Choisy
Metro 7 : Tolbiac

Fontes:

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris

http://www.unjourdeplusaparis.com/paris-balades/promenade-butte-aux-cailles

http://www.theparisienne.fr/2009/08/paris-de-village-en-village/

http://www.lejoyeuxbazar.fr/2014/08/paris-butte-aux-cailles.html

http://www.pariswithted.com/tours/off-the-beaten-track/

http://lesgourmands2-0.com/2013/11/le-meilleur-couscous-de-paris-chez-mamane/

http://paris7sur7.blogspot.com.br/2012/12/chez-mamane.html

http://expressoparis.com/uma-boa-dica-de-restaurante-chez-gladines/

http://www.visitparisregion.com/cafes-restaurants-gastronomie/ambiance-bistrot/cafe-gladines/en-image-261458.html

http://www.placesinparis.com/chez-gladines-restaurant/

http://www.smarterparis.com/parisguide/butte-aux-cailles-to-quartier-des-peupliers/

Read more...


A encantadora capela Nossa Senhora da Medalha Milagrosa em Paris

A Capela  Nossa Senhora da Medalha Milagrosa (Chapelle Notre-Dame de la Médaille Miraculeuse), situada na rue du Bac, é o lugar onde, segundo os católicos, ocorreu a aparição de Nossa Senhora das Graças. É uma das igrejas mais visitadas de Paris, principalmente pelos brasileiros.

Capela da Medalha Milagrosa, Paris

Capela da Casa-mãe das Filhas da Caridade, na Rue du Bac, em Paris, onde foi revelada, por Maria Santíssima a Santa Catarina Labouré, a Medalha de Nossa Senhora das Graças conhecida também como Medalha Milagrosa

A história da capela começa em 1813, quando o governo dá o hôtel Châtillon, um palacete aristocrático, para as irmãs da ordem das “Filles de la Charité”. O lugar passa a ser a sede da congregação, fundada por São Vicente de Paula e por Luisa de Marillac (Louise de Marillac).

Entrada da Capela da Medalha Milagrosa, Paris

Logo em seguida, começa a construção da capela, que termina em 1815 e é dedicada ao Sagrado Coração de Jesus. Após as aparições de 1830, o convento recebe uma onda de noviças e tem que ser ampliado. Em 1849, a capela é reformada e nos anos seguintes sofre outras modificações. No centenário das aparições, em 1930, a igreja é quase totalmente modificada e adquire a aparência que vemos hoje.

O órgão da igreja - estes dois quadros - São José e Santa Ana - estão na capela desde 1815

O órgão da igreja – estes dois quadros – São José e Santa Ana – estão na capela desde 1815

As aparições
Segundo fontes da época, relatos da própria vidente e documentos da Igreja Católica, Catherine de Labouré (Catarina) viu Maria por três vezes, em julho, novembro e dezembro de 1830. A jovem francesa, vinda da Borgonha, havia chegado ao convento naquele mesmo ano e era devota de São Vicente.

Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

Dizem que meses antes de ver Nossa Senhora, a moça teria visto o coração de São Vicente por três vezes. Em uma noite, rezando antes de dormir, teria pedido ao santo para ver a mãe de Jesus. Mais tarde, na mesma madrugada, teria sido acordada por um anjo, que lhe dizia que Maria a estava esperando.

A história da santa contada nos muros externos da capela

A história da santa contada nos muros externos da capela

Assim, foi a primeira das três aparições que Catarina teve. Em uma das visões, Nossa Senhora aparece soltando raios de luz das mãos, dizendo que gostaria que fosse feita uma medalha com aquela aparência e que todos que a usassem receberiam as graças, simbolizadas pelos raios.

Estátua de Catarina na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

Ainda segundo os relatos, Catarina teria falado com o padre responsável pelo convento para fazer as medalhinhas, mas ele não acreditou no relato da noviça. Então, no começo do ano seguinte, ao terminar o período de formação, a jovem foi transferida para o asilo de Reuilly (Hospice d’Enghien-Reuilly), onde devia cuidar dos pobres e doentes da região. O lugar onde ficava o abrigo, que hoje faz parte do 12e arrondissement de Paris (perto da Gare de Lyon), era situado fora da cidade e famoso pela pobreza.

Corredor da Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

No começo de 1832, começa uma epidemia de cólera que vai deixar mais de 20 mil mortos. Catarina, então, consegue convencer o padre a fazer as medalhas. Em junho do mesmo ano, as freiras começam a distribuir as medalhas. Dizem que as curas e conversões aumentam. Em 1835, já são mais de um milhão de medalhas espalhadas pelo mundo.

Estátua de São VIcente de Paula e atrás algumas placas doadas pelos fiéis

Estátua de São VIcente de Paula e atrás algumas placas doadas pelos fiéis

Catarina morre em 1876, aos 70 anos, no mesmo local onde trabalhara por 46 anos (o hospice de Reuilly). Somente às vésperas da sua morte é que as outras noviças descobrem que foi ela que viu Nossa Senhora. Ela foi canonizada em 1947.

Mais placas dos fiéis

Mais placas dos fiéis

Algumas curiosidades da capela – para quem está de frente ao altar, vamos começar da direita para a esquerda

O altar das aparições – Foi o altar principal da capela de 1815 a 1856. Quando foi construído o altar principal que vemos hoje, ele foi transferido para a lateral. É chamado de altar das aparições porque teria sido o altar mostrado pela Virgem como o lugar de onde as graças seriam dadas às pessoas que as pedissem. É em mármore decorado com pedras preciosas.

A imagem de São Vicente e o relicário, dourado

A imagem de São Vicente e o relicário, dourado

Altar São Vicente na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

É nesse altar que hoje está a cadeira que teria sido usada por Nossa Senhora na primeira aparição. É ali que está também o relicário com o coração de São Vicente. Aliás, esse coração viajou. Durante a Revolução, ficou na catedral de Turim, depois, em 1805, ficou na de Lyon e só foi para a Capela em 1947. No altar, há, ainda, a imagem de são Vicente, feita em 1930 e um mosaico que envolve o santo e completa a cena.

A cadeira

A cadeira

O altar do corpo de Santa Catarina – Em 1880, é erguido um altar no lugar onde Nossa Senhora teria ficado na segunda aparição, em 27 de novembro de 1830. Há uma imagem de Maria segurando um globo nas mãos, que foi a visão de Catarina nessa aparição. Ela é de 1930, obra de Real Del Sante, e realizada em mármore de Carrara. Em 1933, é realizada a exumação do corpo de Catarina, que estava na capela de Reuilly, e ele é, então, transferido para a Capela da Medalha. A frente do altar é recuada para ser o fundo do relicário.

Estátua de Nossa Senhora na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

Aliás, quando exumaram o corpo da santa, ele estava intacto. Segundo os relatos, até mesmo os olhos de Catarina, de uma cor cinza-azulada, estavam inteiros. Ciência ou fé, o fato é que ele está lá, bem visível.

O corpo de Catarina Labouré

O corpo de Catarina Labouré

O altar principal – Realizado em 1856 pelo escultor Maldiney. Ele foi realizado a partir de um dos dois blocos de mármore que o governo deu para a congregação em 1850. É decorado com esculturas douradas e medalhões.

Altar principal da Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

O segundo bloco de mármore foi usado para realizar a imagem que está nesse altar: Nossa Senhora está em cima do globo, pisando numa serpente. De suas mãos saem raios e ela é coroada por doze estrelas, que simbolizam os apóstolos. Essa imagem foi descrita por Catarina em suas memórias. A escultura foi realizada também por Maldiney. Nesse altar, está o único elemento no mesmo lugar desde 1815: o sacrário. Ele é em prata dourada e tem a forma de um templo grego.

Nossa Senhora das Graças na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

A estátua de São José – Data de 1914. Na época das aparições, havia um quadro de Santa Ana (hoje, é um dos quadros ao lado do órgão) e embaixo desse quadro, ficava a cadeira onde Maria se sentou na primeira aparição.

São José na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

Na parte esquerda da capela estão as relíquias de Santa Luisa de Marillac, uma das fundadoras da ordem das Filles de la Charité. O relicário é em bronze dourado e guarda uma imagem do corpo da santa em cera. O mosaico, de 1934, mostra um evento da vida da Luisa, segundo o qual ela teria sido iluminada pelo Espírito Santo em uma noite de 1623.

Relíquias de Santa Luisa de Marillac na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

O afresco principal – Na reforma de 1930, a elevação e o aumento da nave principal da igreja formaram um espaço grande no arco da abóboda. Então, recorreram a um jovem artista da escola de Belas-Artes de Paris, chamado André Mériel Bussy. Ele fez, então, uma pintura em azul claro, para combinar com os mosaicos recém-criados da capela, representando a primeira aparição de 1830: A Virgem, aclamada pelos anjos, apresenta a Catarina sua missão.

Afresco na Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

No lado direito da capela, a Via-Sacra é representada em mármore de Carrara. Na parede esquerda, medalhões lembram dois episódios vividos pelas freiras durante a Revolução Francesa: no primeiro, quatro religiosas são levadas para a guilhotina. No segundo, duas irmãs se preparam para serem fuziladas.

Indo para o fuzilamento

Indo para o fuzilamento

Resumindo, o lugar é mágico!!!!!Muito aconchegante! Da rua você não vê a capela, mas somente uma grande porta. Ao entrar, logo do lado direito tem uma lojinha que vende as famosas medalhas. Alias, é uma ótima dica de lembrança de Paris!E andando um pouco mais para frente, aos fundos, tem a entrada da igreja.

Tentei  não cair em questões pessoais de fé. Apesar de não frequentar nenhuma igreja, minha formação é católica. Independente da religião, é muito bonito ver a fé das pessoas. Por isso, não deixa de ser uma visita interessante.

entrada interna da Capela da Medalha Milagrosa, Paris, França

Medalha Milagrosa_2.JPG

Capela da Medalha Milagrosa
140, rue do Bac
75007 – Paris
Horários: Todos os dias, das 7h45 às 13h e das 14h30 às 19h
Terças-feiras: sem interrupções
Metrô: Sèvres-Babylone, linhas 10 e 12.

A  medalha Milagrosa!

Quem for ao local, deve procurar se ajoelhar nos degraus de frente para ao altar, pois a Nossa Senhora Milagrosa diz que quem for aos degraus e pedir algo, receberá as graças que saem pela palma de suas mãos.

 

Acessem o link abaixo para entenderem um pouco mais da história desta linda capela.

http://www.chapellenotredamedelamedaillemiraculeuse.com/PT/a__Bem-vindo.asp

 

Fontes:

http://www.chapellenotredamedelamedaillemiraculeuse.com/

http://www.dicas4fun.com.br/2013/a-encantadora-igreja-da-nossa-senhora-milagrosa-em-parisvale-a-visita/

http://www.adf.org.br/home/2013/11/a-medalha-milagrosa-devocao-propria-para-a-luta-contra-o-demonio-em-nossos-dias/

http://aparicaodelasalette.blogspot.com.br/2010_11_01_archive.html

http://diretodeparis.com/capela-da-medalha-milagrosa-um-dos-lugares-de-paris-mais-visitados-pelos-brasileiros/

http://www.necessairenamala.com.br/2013/06/a-capela-de-nossa-senhora-da-medalha.html

http://paixaoporparis.blogspot.com.br/2012/05/igreja-da-nossa-senhora-da-medalha.html

http://www.chapellenotredamedelamedaillemiraculeuse.com/PT/b1_Um_encontro.asp

Read more...

Flickr

RSS URL not defined

Entre em contato!

Tel. 55 11 9641 0432

Áreas atendidas – São Paulo, SP
_Higienópolis
_Pacaembú
_Perdizes
_Bela Vista
_Outras áreas: consulte!

Visite minhas redes sociais:

Scroll to top