Invent


Fabrice Moireau

Resultado de imagem para fabrice moireau peintre

Nascido em Blois em 1962, Fabrice Moireau formou-se na Escola Nacional de Artes.

Aquarelista, cenógrafo, um arqueólogo amador e autor de livros ilustrados, Fabrice afirma não saber fazer outra coisa senão pintar.

Resultado de imagem para fabrice moireau peintre

De suas muitas viagens, ele trouxe carnets de croquis que são verdadeiras testemunhas culturais e  etnográficas.

Resultado de imagem para fabrice moireau peintre

Apaixonado pelo patrimônio arquitetônico , jardins e plantas, a sua busca contínua é traduzir, para a aguarela, a sutileza dos jogos de luz e transmitir a atmosfera de uma rua, uma paisagem, um curso água ..

Né à Blois en 1962, Fabrice Moireau est diplômé de l’Ecole Nationale Supérieure des Arts Appliqués et des Métiers d’Art de Paris. Il est aquarelliste depuis 1987. De ses nombreux voyages (Chine, Maroc, Egypte, Italie, Portugal, Etats-Unis, Hongrie, Grande-Bretagne, Turquie, Japon…), il rapporte toujours des carnets de croquis, véritables témoignages culturels et ethnographiques. Grand amateur du patrimoine architectural et des jardins, sa quête permanente est de traduire et de communiquer par l’aquarelle, le jeu subtil de la lumière et de l’atmosphère d’une ville, d’un toit, d’un jardin ou d’un paysage. Fabrice Moireau réalise toujours ses aquarelles in situ. Il effectue aux 4 coins du monde, des relevés aquarellés de façades de maisons anciennes, parfois à demi ruinées dont beaucoup ont valeur d’archive. Il poursuit aussi un travail intime sur Paris : Paris monumental, Paris des rues, Paris des jardins, Paris populaire.
Il a illustré de nombreux livres dont Paris aquarelles, Jardins de Paris aquarelles, Vallée de la Loire aquarelles, Alsace aquarelles, Londres aquarelles, Venise Aquarelles, New York Aquarelles…

 

Pour saisir les toits de Paris, Fabrice Moireau a sonné aux portes, a fait semblant d’être de l’immeuble, est monté au petit bonheur la chance pour peindre, le regard perché, au risque du vertige. Sa volonté ? Varier les monuments célèbres, les endroits publics et les recoins moins célèbres de la ville, Apporter des visions, des angles inédits et des points de vues saisissants. De cette quête est née une série d’aquarelles entièrement réalisées sur le vif. Ce qui le fascine, c’est ce monde en lévitation presque irréel, l’accumulation incroyable des techniques pour couvrir les toits, l’ingéniosité à se protéger de la pluie, du vent et de la monotonie. Le livre est une invitation au voyage vers un Paris libre !

« Paris est une ville blanche. Ses ombres passent du bleu gris-mauve à des ocres grises. Tout est dans l’opposition entre ces deux familles de couleurs incroyablement subtiles. Les ombres mauves, en hauteur, descendent vers le jaune. Pour réussir une ombre, il faut savoir la nuancer. » Fabrice Moireau

 

zoom

Fontes:

http://www.fnac.com/Fabrice-Moireau/ia380909

http://www.candidature-toitsdeparis.fr/portfolio/toits-de-paris-aquarelles-de-fabrice-moireau/

http://www.fnac.com/Fabrice-Moireau/ia380909

Read more...


Benjamin Lacombe

Autor e ilustrador francês nascido em Paris em 12 de Julho de 1982, é um dos principais representantes da nova ilustração francesa. Em 2001, ingressou na Escola Nacional de Artes Decorativas de Paris (ENSAD), onde ele segue formação artística.

Durante seus estudos, ele trabalhou em publicidade e animação; em seguida, aos 19 anos, sua primeira  bande dessinée e alguns outros livros ilustrados … Seu projeto de  graduação , Cerise Griotte,  inteiramente escrito e ilustrado por ele, é seu primeiro livro infantil , editado pela Editions du Seuil em março de 2006. Foi publicado no ano seguinte pela Walker Books (EUA) e foi selecionado pela prestigiada revista semanal Time como um dos dez melhores livros infantis de 2007 nos Estados Unidos.

Desde então Benjamin Lacombe escreveu e ilustrou mais de vinte livros, alguns dos quais foram traduzidos em várias línguas e faz o maior sucesso em todo o mundo.

Livros como Les Amants Papillons, Généalogie d’une Sorcière, La Mélodie des Tuyaux, Il était une fois…., Les Contes macabres ou encore, L’Herbier des Fées. Ele expõe regularmente o seu trabalho em galerias e  trabalha em particular com Ad Hoc Art (Nova York), Dorothy Circus (Roma), Maruzen (Tokyo), Núcleo (Los Angeles) e Daniel Maghen Gallery (Paris).

Resultado de imagem para les contes macabres benjamin lacombe

Fontes:

http://www.benjaminlacombe.com/home_f.html

 

Read more...


Dom Quixote de Jules Massenet no Theatro São Pedro

Dom Quixote  Um clássico internacional abre a temporada de óperas do Theatro São Pedro. A ópera em cinco atos composta pelo francês Jules Massenet é baseada no libreto de Henri Caïn e inspirada no romance de Miguel de Cervantes.

Jules Massenet

Cain, Henri, BNF Gallica.jpg

Henri Caïn

 Miguel de Cervantes

A estreia acontece  hoje, dia 02 de março e terá seis récitas, nos dias 04, 06, 09, 11 e 13 de março. Dom Quixote, uma ópera orquestrada à altura da grande figura criada por Cervantes, terá regência e direção musical do maestro Luiz Fernando Malheiro e concepção e direção cênica de Jorge Takla, que faz a sua estreia como diretor no Theatro São Pedro.

Ensaio da ópera "Dom Quixote", de Jules Massenet, no Theatro São Pedro, em São Paulo

Ensaio da ópera ” Dom Quixote “, de Jules Massenet no Theatro São Pedro

“Composta por Jules Massenet com elegante inspiração, magnificamente orquestrada e com uma simplicidade à altura de grande figura criada por Cervantes. Sucinta, discreta e comovente, a cena da morte do herói deixa claro que em sua obra, Massanet ainda era senhor do mesmo senso do drama musical que fez a glória de Manon, mais de 25 anos antes.”

Ensaio da ópera "Dom Quixote", de Jules Massenet, no Theatro São Pedro, em São Paulo

Ensaio da ópera ” Dom Quixote “, de Jules Massenet no Theatro São Pedro

 

Dom Quixote é uma coprodução com o Theatro Municipal do Rio de Janeiro e uma homenagem aos 400 anos de falecimento de  Cervantes, escritor espanhol que criou uma das mais conhecidas personagens da literatura mundial. A obra é fonte permanente de inspiração na música, balé e ópera. A música foi abordada por compositores de diferentes épocas como Telemann, Mendelssohn, Richard Strauss e Ravel. Do austríaco Minkus, recebeu a música para um dos grandes clássicos do balé. O compositor francês Jules Massenet, um dos mais inspirados autores da cena lírica parisiense da Belle Époque, estreou sua versão em ópera no ano de 1910, sendo uma de suas últimas criações.

Para esta montagem, o cenógrafo Nicolas Boni inspirou-se nas gravuras de Gustave Doré, os figurinos ficam por conta de Fabio Namatame, desenho de luz de Ney Bonfante e a coreografia de Nuria Castejon. A Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp) será regida pelos maestros MalheiroPedro Messias (9 de março), com a participação do Coral Lírico Paulista, regido por Nibaldo Araneda.

Destacam-se no elenco a mezzo-soprano Luisa Francesconi na personagem da Bela Dulcineia, o baixo Gregory Reinhart no papel-título e o barítono Eduardo Amir como Sancho Pança.

Gregory Reinhart

A ópera traz ainda o elenco estável do Theatro São Pedro: a soprano Roseane Soares (Pedro), a mezzo-soprano Cecília Massa (Garcias) e os tenores Anibal Mancini (Rodriguez) e André Rabello (Juan). Os atores Alexis RadouxDaniel Klepacz e Rodrigo Veloso vivem os bandidos.

A mesma montagem de Dom Quixote será apresentada no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, em cinco récitas, de 13 a 22 de abril.

 

Dom Quixote

O protagonista é um fidalgo castelhano que, ao mergulhar profundamente nos romances de cavalaria, passou a viver no universo das personagens retratadas nos livros. O romance narra as suas aventuras em companhia de Sancho Pança, seu amigo e fiel escudeiro que, apesar de ter uma visão mais realista do mundo é fascinado pelo seu mestre. Quixote apaixona-se perdidamente por Dulcineia e, para realizar um pedido dela, parte pelo mundo em suas aventuras. Com a missão cumprida, retorna para a musa e tem uma desilusão amorosa.

 

Palestra

O Theatro São Pedro realiza uma palestra gratuita que antecede todas as récitas de Dom Quixote. O ministrante é Sergio Casoy, que aborda de forma descontraída e informativa a vida do compositor, as circunstâncias históricas da composição, além da história da ópera e curiosidades.

Ensaio de "Dom Quixote"

Ensaio da ópera ” Dom Quixote “, de Jules Massenet no Theatro São Pedro

Orquestra do Theatro São Pedro

A Orquestra do Theatro São Pedro (Orthesp) é um conjunto sinfônico especializado em ópera, criado no ano de 2010, e atua neste que é um dos mais antigos teatros em atividade no país.
Ao longo destes anos, a Orthesp preparou e apresentou espetáculos de grande repercussão, como as estreias brasileiras de O Barbeiro de Sevilha, de Giovanni Paisiello, e A Volta do Parafuso, de Benjamin Britten, além das aclamadas montagens de O Elixir do Amor, de Gaetano Donizetti, e Werther, de Jules Massenet.

O grupo já recebeu muitos dos mais talentosos artistas da música erudita brasileira, como Fernando Portari, Paulo Szot, Rosana Lamosa, Gabriella Pace, Sílvio Viegas, Lutero Rodrigues, Luiz Fernando Malheiro, Roberto Duarte, entre outros, e estrelas internacionais, como Giuseppe Sabatini, Maria Bayo, Steven Mercurio, Maria Pia Piscitelli, Bruno Praticò e Nancy Herrera. Em 2012, a orquestra gravou CD em parceria com a pianista Karin Fernandes e recebeu, em 2011, o Prêmio Carlos Gomes na categoria Orquestras, pelo nível de qualidade alcançado em pouco tempo de atividade. Desde 1º de julho de 2014, Luiz Fernando Malheiro assumiu a direção artística da Orthesp.

Luiz Fernando Malheiro – regente e diretor artístico

Luiz Fernando Malheiro é o atual diretor artístico e regente titular da Orquestra Amazonas Filarmônica, diretor artístico do Festival Amazonas de Ópera (FAO), diretor artístico do Theatro São Pedro de São Paulo e regente titular de sua orquestra. Foi também diretor de Ópera no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Vencedor do Prêmio Carlos Gomes: Regente de Ópera (2012, 2011 e 2009) e Universo da ópera/2000, dirigiu no FAO/2005 a primeira montagem brasileira de O Anel do Nibelungo, de Richard Wagner, recebendo ainda mais dois prêmios: Universo da Ópera e Espetáculo do Ano. Gravou Fosca e Maria Tudor, de Carlos Gomes, em DVD e CD.

Regeu diversas vezes no Festival de Ópera de La Coruña na Espanha e dirigiu concertos e espetáculos à frente das orquestras Sinfônica de Roma, Sinfônica de Miami, do Teatro Olímpico de Vicenza, Sinfônica de Bari, Filarmônica Marchigiana, da Ópera Nacional de Sófia, Sinfônica de Porto Rico, Sinfônica da Galícia e a Sinfônica Castilha e Leon, do Teatro de Bellas Artes de Bogotá, do Teatro de Bellas Artes do México, Filarmônica do México e no Teatro Del Libertador de Córdoba, na Argentina. No Brasil, regeu as orquestras Sinfônica Municipal de São Paulo, Sinfônica do Tehatro Municipal do Rio de Janeiro, Sinfônica Brasileira, Sinfônica do Estado de SP, Sinfônica e Filarmônica de Minas Gerais, Sinfônica do Paraná, Sinfônica da Bahia entre outras.

Jorge Takla, concepção e direção cênica

Formado na École des Beaux-Arts e no Conservatoire d’Art Dramatique, em Paris, Takla atuou e dirigiu La Mama, em Nova York, de 1974 a 1976. No Brasil, dirigiu e produziu mais de 70 espetáculos, entre eles: O Rei e Eu (Rodgers e Hammerstein),West Side Story (Bernstein), My Fair Lady (Lerner e Loewe), Candide (Bernstein),Mademoiselle Chanel (Maria Adelaide Amaral), Vitor ou Vitória (Mancini-Bricusse),Últimas Luas (Furio Bordon), Medeia (Eurípides), Electra (Sófocles), A Gaivota e O Jardim das Cerejeiras (Tchecov), Cabaret (Kander e Ebb), Pequenos Burgueses(Gorki), Madame Blavatsky (Plínio Marcos) e Lembranças da China (Alcides Nogueira). Em ópera, destaque para o seu trabalho em La Traviata (Verdi), La Bohème e Madama Butterfly (Puccini), As Bodas de Fígaro (Mozart), Cavalleria Rusticana (Mascagni), I Pagliacci (Leoncavallo), Os Contos de Hoffmann (Offenbach),A Viúva Alegre (Lehár) e The Rake’s Progress (Stravinsky).

Foi diretor da Divisão de Teatro da CIE-Brasil de 2002 a 2004, período quando coordenou as produções de A Bela e a Fera (Broadway), Chicago (Broadway), A Flor de Meu Bem-Querer (Juca de Oliveira), Suburbano Coração (Chico Buarque), entre outras. Foi também administrador e diretor artístico do Teatro Procópio Ferreira de 1983 a 1992.

 

Ficha Técnica:

Luiz Fernando Malheiro, direção musical e regência
Pedro Messias, regência (9 de março)
Jorge Takla, concepção e direção cênica
Nuria Castejon, coreografia
Nicolas Boni, cenografia
Fábio Namatame, figurino
Ney Bonfante, desenho de luz
Christian Mourelhe, visagismo

Elenco:

A Bela Dulcineia (mezzo-soprano) – Luisa Francesconi
Dom Quixote (baixo) – Gregory Reinhart
Sancho Pança (barítono) – Eduardo Amir
Pedro (soprano) – Roseane Soares*
Garcias (mezzo-soprano) – Cecilia Massa*
Rodriguez (tenor) – Anibal Mancini*
Juan (barítono) – André Rabello*
Bandido 1 (ator) – Alexis Radoux
Bandido 2 (ator) – Daniel Klepacz
Bandido 3 (ator) – Rodrigo Veloso

*Elenco estável do Theatro São Pedro 2016

Fotos do ensaio por Heloísa Bortz

 

SERVIÇO:

Ópera “Dom Quixote”, de J. Massenet

Quando : 2, 4, 9 e 11 de março, às 20h; e dias 6 e 13 de março, às 17h

Onde: Theatro São Pedro (R. Dr. Albuquerque Lins, 207, metrô Mal. Deodoro – São Paulo. Tel.: 11 3661-6600)

Quanto : de R$30 a R$80

Ingressos à venda na bilheteria (acesso pela R. Barra Funda, 171) de terça a sábado, das 10h às 20h, e domingo das 10h às 18h; e pelo site IngressoRapido.com.br

Duração: 180 minutos

Capacidade: 636 lugares

 

 

 

Fontes:

http://www.theatrosaopedro.org.br/opera-dom-quixote/

http://www.movimento.com/2015/11/theatro-sao-pedro-sp-divulga-temporada-2016/

http://cultura.estadao.com.br/noticias/musica,opera-inspirada-em-dom-quixote-ganha-nova-producao-no-teatro-sao-pedro,10000019058

http://www1.folha.uol.com.br/ilustrada/2016/03/1745416-opera-dom-quixote-lembra-os-400-anos-sem-miguel-de-cervantes.shtml

http://www.movimento.com/2016/02/o-cavaleiro-da-triste-figura-na-terra-da-garoa/

http://www.aquelelugar.com.br/tag/jardins/

Read more...


Exposição “Le dressing de rêve des parisiens” na Mairie de Paris

De 8 de setembro à 31 de outubro Paris Rendez -Vous , a loja conceito do Hôtel de Ville, abrirá as portas do  Le Dressing de Rêve des Parisiens Como parte da Semana de Moda do Prêt-à-porter  de 29 de setembro a 7 de outubro , esta exposição gratuita  irá revelar a origem de 50 novas maisons de mode  de Paris. Esta exposição apresenta peças icônicas desta nova geração de criadores que trazem o dinamismo parisiense do prêt-à-porter,  da costura ,das  jóias, dos acessórios e dos sapatos de Paris.

Entre eles:  Andrea Crews, Commune de Paris, Erotokritos, Melinda Gloss, Atelier Auguste, Maison F, Waiting for the  Sun, Mi Mai…

“Ces créateurs font souffler sur la mode parisienne un vent de fraîcheur et d’énergie. “Partez à leur rencontre !

Expo Le Dressing de Rêve des Parisiens Hotel de ville Mode Paris

Valentine Gauthier

No Youth Control – Paris Rendez-Vous

No Youth Control – Paris Rendez-Vous

Commune de Paris – Paris Rendez-Vous

Commune de Paris – Paris Rendez-Vous

Misericordia – Paris Rendez-Vous

Misericordia – Paris Rendez-Vous

LE DRESSING DE RÊVE DES PARISIENS

Le dressing de rêve des Parisiens

Por ocasião desta exposição , a ilustradora  Tiffany Cooper revelada na Internet e associada repetidamente  a Karl Lagerfeld, coloca em cena este dressing  único. Ela também assina a capa do livro Le dressing de rêve des Parisiens, uma nova versão do guia Nouveaux créateurs à Paris,  publicado pela Editions du Chêne e disponível desde 02 de setembro nas livrarias.

Le dressing de rêve des Parisiens

Le dressing de rêve des Parisiens

Le dressing de rêve des Parisiens

Le dressing de rêve des Parisiens

Paralelamente à exposição , também serão organizadas atividades , incluindo um vide-dressing, sessões de autógrafos e dedicatórias  ou iniciações a “nail art “. A Marca Singer também irá oferecer todos os sábados , oficinas gratuitas  para criar um acessório de moda :  capa de telefone ou tablet ,  laços diferentes, nœud papillon ou  macacão e cobertor para crianças …

Paris Rendez vous

De 8 de  setembro à 31 de  outubro
Entrada gratuita, de segunda à sábado, de 10h à 19h
29 rue de Rivoli, 75004 Paris

Fontes:

http://rendezvous.paris.fr/

http://www.paris.fr/actualites/poussez-les-portes-du-dressing-de-reve-des-parisiens-2851

http://boutique.paris.fr/fr/nos-marques/marques-parisiennes/le-dressing-de-reve-des-parisiens/952-guide-le-dressing-de-reve-parisiens.html

http://www.sortiraparis.com/arts-culture/exposition/articles/89796-le-dressing-de-reve-des-parisiens-l-expo-mode-de-paris-rendez-vous

http://parismamanetmoi.com/2015/08/31/le-dressing-de-reve-des-parisiens-et-des-ateliers-singer-gratuits/

http://fr.fashionmag.com/news/-Le-dressing-de-reve-des-Parisiens-la-nouvelle-exposition-de-la-Mairie-de-Paris,562996.html#.

http://www.meltyfashion.fr/le-dressing-de-reve-des-parisiens-l-expo-et-le-guide-dont-les-jeunes-createurs-sont-les-rois-a449378.html

http://quefaire.paris.fr/fiche/121366_exposition_le_dressing_de_reve_des_parisiens

http://www.anousparis.fr/culture/expos/le-dressing-de-reve-des-parisiens

http://www.glamourparis.com/culture/sorties-expo/articles/le-dressing-de-reve-des-parisiens-s-expose-a-la-rentree/25726

Read more...


Paris secret et insolite

 psicouvdet1.jpg

Paris secret et insolite, ( 2012 – edição revisada e atualizada. Fotografias de Jacques Lébar, 270 paginas) mostra  Paris, não  a dos Grands Boulevards,  mas Rodolphe Trouilleux nos leva para um tour de Paris , intimista e incomum. De bairro em bairro , o autor convida-nos a descobrir lugares  conhecidos ou desconhecidos : uma casa exótica , uma torre do século XVII, uma praça especial, ratos que roem uma fachada,  um antigo cemitério protestante, uma loja de chocolates, uma placa da idade média, um caminho gótico, um castelo ouvrier,  um portal viajante, postes de luz telescópicas ,  um cavaleiro torturado , um relógio de sol surrealista,  baixos relevos para a glória do Rei Sol , uma antiga sala de leitura,  um sino imperial , uma fortaleza em um jardim , um edifício diferente, uma berçário da virada do século , estalactites em uma caverna , um arco por cima de um rio que  desapareceu ..

Isto é Paris !!!!

img4856.jpg

Para descobrir Paris  de uma outra maneira, o livro mostra alguns lugares escondidos ou não, da cidade de Paris !!!!

Le nouveau

img8540.jpg

cariat.jpg

img4929.jpg

img9265.jpg

parisbl.jpg

img4924.jpg

tetempiollet.jpg

 

Paris secret et insolite 2012 dans Pariscope! 1

2

Revoir Paris- Charles Trenet

 

Fonte:

http://www.paperblog.fr/1763456/paris-secret-et-insolite-nouvelle-edition-2009/

http://www.hellocoton.fr/paris-secret-et-insolite-rodolphe-trouilleux-2060092

http://parissecretetinsolite.unblog.fr/

Read more...


Barbapapa

Barbapapa, personagem de desenho animadoo, foi criado  em Paris. Foto: Reprodução Cartão  Posrtal

Fruto de uma história romântica, Barbapapa, personagem célebre de histórias em quadrinhos e desenho animado, nasceu em Paris há 45 anos. Mais precisamente no belo e inspirador Jardin du Luxembourg. Nos anos 1970, seus criadores, o casal formado pela arquiteta francesa Annette Tison, e o professor americano de matemática Talus Taylor,passeava pelas alamedas do jardim quando Taylor, que ainda não dominava a língua francesa, ouviu uma criança de uns três anos balbuciar algo que ele achou sonoramente engraçado “barbapapa”.

Taylor perguntou à mulher do que se tratava. Anne, como era carinhosamente chamada pelo marido,  lhe explicou que a criança pedia um doce, feito somente de açúcar e anilina, colorido e geralmente em tom rosa: o algodão-doce. A guloseima na França tem o nome de “barbe-à-papa”, que numa tradução literal, significa “barba do papai”.

O americano achou aquilo ainda mais engraçado. O passeio acabou e o casal sentou-se em um bistrô. Ali Annette então desenhou, em um guardanapo, o formato do que seria um algodão-doce e deu para Taylor, que, para completar a brincadeira, colocou um par de olhos, boca e nariz.

A criação do Barbapapa é fruto de uma romântica história passada no Jardin de Luxembourg, em Paris. Foto: Reprodução  do site oficial

anim barbapapa

Talus Taylor e Annette Tison, em Paris em 1982
 Annette Tison e Talus Taylor, casal criou o Barbapapa há 45 anos, inspirados por um passeio em Paris.Foto: Reprodução do Canal de TV Euronews

Ali nascia o simpático Barbapapa, meio sem forma, mas isso pouco importava, afinal, ele poderia se transformar em qualquer coisa e essa seria a maior graça do personagem e de sua família, formada por sua mulher, Barbamama, os “barbabebês” - sete filhos que no Brasil ganharam os nomes de Barbabela, Barbacuca,Barbalala, Barbaclic, Barbaforte, Barbatinta e Barbazoo - e mais a cachorrinha Lolita.

Os  personagens da  família Barbapapa, criados em Paris por talus Taylore Annette Tisn. Foto: Reprodução site

PERSONAGENS

§ Barbapapa: É o pai da família. Tem a cor rosa.

§ Barbamama: A mãe da família. Tem a cor preta e sempre ostenta flores na cabeça, como todas as “garotas” da família.

§ Barbabela: (Barbabelle,(em inglês)/(em francês)) A mais vaidosa, sempre preocupada com a aparência. Tem a cor lilás.

§ Barbaclic: (Barbabright(em inglês)/Barbibou(em francês)) Extremamente curioso, gosta de ciências. É azul.

§ Barbacuca: (Barbalib(em inglês)/Barbotine(em francês)) É estudiosa e gosta de livro. Tem a cor laranja.

§ Barbalala: Gosta de música. Tem a cor verde.

§ Barbaploc: (Barbabravo(em inglês)/Barbidur(em francês)) É o esportista da família e gosta de bancar o detetive. Tem a cor vermelha.

§ Barbatinta: (Barbabeau(em inglês)/Barbotine(em francês)) Gosta de pintura. É preto e o único barbapapa com pêlos.

§ Barbazoo: É o amigo dos animais e plantas. Tem a cor amarela.

 

La famille Barbapapa, au grand complet.

  As histórias do gentil gigante rosa e sua família foram publicadas em francês pela primeira vez no “L´École des loisirs”, depois, ganharam as páginas do “Éditions du Dragon d’Or” e tornaram-se um fenômeno. Chamada de Barbafamília, as aventuras destes personagens simpáticos e ecológicos à frente do tempo, foram traduzidas para mais de 30 línguas diferentes e fizeram sucesso em centenas de países ao redor do mundo.

No Brasil, quem foi criança na década de 1970 provavelmente sabe disso. Difícil encontrar alguém entre 45 e 50 anos que não se lembre com carinho do desenho animado da Família Barbapapa, transmitidos pela TV durante  o programa Globinho Supercolorido, apresentado pela jornalista Paula Saldanha.

Cada personagem tem uma cor e uma habilidade. Eles podiam assumir vária formas.

Abertura do desenho:

Depois, a Família Barbapapa caiu um pouco no esquecimento no Brasil.  Mas  em Paris até hoje os Barbapapas  enfeitam os objetos decorativos infantis, que também agradam aos adultos nostálgicos. Algo parecido com a nossa Turma da Mônica, do Maurício de Souza, personagens que até hoje agradam às crianças e ainda despertam o carinho dos adultos.

 

Bouteilles de sirop Barbapapa

Barbapapa

Em 19 de maio foi aniversário de 45 anos da primeira publicação das histórias do Barbapapa e os personagens viraram doodle da página de buscas do Google.

 

45º aniversário da criação do Barbapapa

No dia 19 de maio de 2015 a família Barbapapa virou doodle no Google. Foto: Reprodução Google

 Mas seu criador não chegou a ver as homenagens. Talus Taylor morreu em fevereiro deste ano, deixando sua esposa e parceira de criação e o legado dos imortais e queridos personagens parisienses.

Barbapapa, dessin-animé, dessins, hommage, mort, Talus Taylor, Annette Tison

Talus Taylor était le créateur avec sa femme Annette Tison, de la série des Barbapapa, il avait imaginé ce gentil géant rose transformable à volonté en 1970.

Les Barbapapa pleurent la mort de l’un de leurs créateurs

uma homenagem original

Dessin hommage de Joann Sfar à Talus Taylor, le cocréateur avec Annette Tyson de Barbapapa.

l’auteur de BD Joann Sfar a lui aussi réagi en postant un dessin très émouvant

 

fontes:

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris/

https://pt.wikipedia.org/wiki/Barbapapa

http://www.metronews.fr/culture/talus-taylor-le-papa-des-barbapapa-est-mort/mocb!wOftroDFnHSQ/

http://devoltaaosanos80.blogspot.com.br/2011/02/desenhos-antigos-da-tv-globinho.html

http://www.lefigaro.fr/bd/2015/03/01/03014-20150301ARTFIG00173-barbapapa-pleure-la-mort-de-l-un-de-ses-createurs.php

http://iwong.tripod.com/Barbpict.htm

http://www.rickstv.com/tvo/barbapapa.html

http://www.meltybuzz.fr/mort-de-talus-taylor-les-dessins-hommage-au-pere-de-barbapapa-a386664.

http://www.cmjornal.xl.pt/mais_cm/obituario/detalhe/talus_taylor_1933_2015.html

http://www.iconovox.com/blog/2015/02/22/mort-de-talus-taylor-papa-des-barbapapa/

Read more...


Un très beau “Petit Prince” – O pequeno príncipe’ ganha animação com diretor Mark Osborne

A adaptação no cinema do livro de Saint-Exupéry foi projetado em Cannes dia 22 de maio. É a ocasião para redescobrir uma história que atravessa as gerações.

Prochainement : Sortie du film « Le Petit Prince » au cinéma

Cena da animação ‘O pequeno príncipe’, apresentada em Cannes, é a primeira vez em que o livro de Saint-Exupéry ganha versão neste formato (Foto: Divulgação)

O diretor Mark Osborne, que codirigiu “Kung fu panda” (2008) e “Bob Esponja: O filme” (2004), apresentou  em Cannes sua visão particular de “O pequeno príncipe”, que dá nova dimensão ao conto filosófico de Saint-Exupéry, mas preservando sua mensagem universal.

Pela primeira vez, o conto chega aos cinemas como uma animação.

Depois de muito refletir, o diretor americano acabou por encontrar a solução para adaptar ao cinema este ícone da literatura, um dos livros mais traduzidos no mundo, sem trair a obra.

Ele inventa uma história ao redor do conto e decide que o aviador sobrevive para contar sua história.

Já senhor de idade, ele passa seu tempo a observar as estrelas com seu telescópio. Uma noite, ele percebe sua pequena vizinha estudar em seu quarto e a envia um avião de papel no qual escreve as primeiras linhas de uma história.

A obra original de Saint-Exupéry é “difícil de adaptar, ela é íntima e frágil e a inteligência de Mark Osborne foi inserir o romance em uma história mais ampla”, explicou Dmitri Rassam, o coprodutor francês do filme com Anton Soumache.

Curiosa e estudiosa, a menina se esforça para responder às expectativas de sua mãe, mas está inquieta com a ideia de crescer.

Uma comovente amizade nasce entre ela e o aviador que, a cada dia, conta um novo episódio da vida do Pequeno Príncipe, este jovem menino loiro de echarpe ao vento que ele encontrou há muito tempo no deserto quando seu avião quebrou.

A cada página, o olhar da menina sobre a vida muda. E também ao longo dos encontros que o Pequeno Príncipe teve durante sua vida, como a Raposa e a Rosa.

Grandes atores concordaram em emprestar suas vozes aos diferentes personagens nas versões em inglês e francês do filme, como Jeff Bridges, Benicio del Toro, Marion Cotillard (a Rosa em ambos os idiomas), Vincent Cassel (Raposa) e André Dussollier que interpreta o aviador.

“Esta é uma tremenda alegoria sobre nossa infância e o desejo de que ela não desapareça”, explica André Dussolier.

A ideia do filme, que custou 57 milhões de euros, surgiu há 10 anos na cabeça de Dmitri Rassam, que levou mais cinco anos para concluir o projeto.

O tempo foi necessário para convencer o diretor, assim como os descendentes de Saint-Exupéry, e solucionar a questão dos direitos legais do romance.

“É realmente uma obra universal”.

“O filme encontrou um eco muito forte, como o livro que meus pais liam para mim quando eu era pequeno”, diz o coprodutor de 33 anos, que é filho de Jean-Pierre Rassam, também produtor de cinema (falecido em 1985) e da atriz Carole Bouquet.

Quase 250 pessoas trabalharam no filme para o qual foram utilizadas duas técnicas de animação: as imagens em 3D produzidas por computação gráfica e “stop motion”, onde pequenas figuras de papel são filmadas e animadas quadro a quadro.

Uma técnica mais tradicional que permite permanecer fiel ao texto de Saint-Exupery e próximo de seu desenho, segundo os produtores do filme.

Apresentado fora de competição no Festival de Cannes, o filme chegará aos cinemas brasileiros em 20 de agosto.

 

Poético, tocante, eterno : “Le Petit prince”, célebre conto escrito em 1943 por Antoine de Saint-Exupéry,  sempre tocou muito o público. Sua adaptação ao cinema foi um acontecimento no  Festival de Cannes.

Le Petit Prince

A  história é sobre uma menina educada por uma mãe rigorosa . Um dia , a criança se aventurou no jardim do seu vizinho, um homem velho que parece  a um certo Saint- Exupéry . O homem vai descobrir para menina a história do pequeno príncipe .

Une avant-premère du Petit Prince pour vos élèves

 

“Les moments les plus forts du livre”

Os cabelos loiros, a echarpe voando ao vento e as famosa réplicas do pequeno príncipe , com certeza estão no filme. “Eu queria mostrar os destaques do livro, o que as pessoas realmente tiram desta história. Eu pensei que a melhor maneira de fazê-lo era através de uma menina cuja vida é transformada pelo pequeno príncipe ” , disse o diretor  Mark Osborne .

Le Petit Prince - France
Réalisé par Mark Osborne – Avec Rachel McAdams, James Franco, Benicio Del Toro…


C’est l’histoire d’une histoire. C’est l’histoire d’une petite fille, intrépide et curieuse, qui vit dans un monde d’adultes. C’est l’histoire d’un aviateur, excentrique et facétieux, qui n’a jamais vraiment grandi. C’est l’histoire du Petit Prince qui va les réunir dans une aventure extraordinaire.

 

 

Fontes:

http://www.lepetitprince.com/2015/04/la-bande-annonce-du-film-du-petit-prince-en

http://culturebox.francetvinfo.fr/festival-de-cannes/hors-competition-0/cannes-2015-un-tres-beau-petit-prince-inattendu-220152

http://www.francetvinfo.fr/culture/cinema/festival-de-cannes/festival-de-cannes-le-petit-prince-raconte-sur-la-croisette_916599.html

http://sarasogna.eklablog.com/une-avant-premere-du-petit-prince-pour-vos-eleves-a116903562

http://www.lefilmfrancais.com/cinema/122848/le-petit-prince-snexpose-arludik

http://www.rtl.fr/culture/arts-spectacles/le-petit-prince-la-belle-aventure-de-saint-exupery-arrive-au-cinema-7775796141

http://www.ecranlarge.com/films/news/933443-le-petit-prince-tout-ce-qu-il-faut-savoir-sur-le-film-d-animation-de-2015

http://www.cheeky.fr/blog/2014/12/08/le-petit-prince-bande-annonce/

http://www.allocine.fr/diaporamas/cinema/diaporama-18641925/8

http://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/2015/05/o-pequeno-principe-ganha-animacao-do-mesmo-diretor-de-kung-fu-panda.html

Read more...


O mundo imaginário de Tintin em Paris no Musée en Herbe

Que tal um passeio pela história dos lugares que foram cenários das aventuras do repórter e globe trotter Tintin? O personagem belga mais querido dos quadrinhos, criado por Georges Remi, aliás, Hergé,pousou as malas no coração de Paris para a exposição “Le Musée Imaginaire de Tintin” (O museu imaginário de Tintin).

 

Até o dia 31 agosto, a exposição traça a história de Tintin e de seus companheiros de aventura como Capitão Haddock, os irmãos da Dupont, o professo Girassole e, claro, seu fiel escudeiro e melhor amigo, o cãozinho Milú.

 

A mostra agrada a todas as gerações e propõe contar um pouco das história dos países pelos quais o herói passou ao longo de suas aventuras.

Tintin et les momies dans “Le secret des Pharaons” au Musée en Herbe à Paris/ © France 3 / Culturebox

Também tem a trajetória do personagem, criado há 80 anos, com peças que vêm do acervo do Museu Hergé, na Bélgica.

 Tintim e seus companheiros de aventura em desenho de Hergé. Foto: Divulgação

“Le Musée Imaginaire de Tintin” está em cartaz no Musée en Herbe .
Musée en Herbe
21 da rue Hérold, 75001 Paris
Metrô: linha 3 Bourse ou linha 4 Étienne Marcel
Horário: de 10h às 19h todos os dias e quinta-feira até 21h.
Preços: 6 €

“Le petit reporter né de l’imagination d’Hergé en 1929 est l’objet d’une exposition à Paris. Du 12 février au 31 août 2015, « Le Musée en Herbe » expose des dessins originaux d’Hergé mais surtout des authentiques pièces ethnographiques de musée qui avaient inspiré les aventures du reporter Bruxellois. Une exposition pour « familiariser les enfants avec les oeuvres que l’on trouve dans les musées »

Les visiteurs découvriront une évocation de l’architecture spectaculaire du Musée Hergé. Des dessins et planches originales retraceront la surprenante diversité de l’œuvre du dessinateur.Tintin & Milou, mais aussi tous les personnages de la série seront présents. Au cœur de l’exposition, des vignettes agrandies des albums de Tintin seront confrontées aux œuvres d’art et objets ethnologiques originaux, prêtés par le Musée du quai Branly, le Musée du Louvre et des galeries de renoms. Afrique, Amérique, Egypte, Chine, Tibet, seront représentés par les objets emblematiques des civilisations rencontrées par Tintin lors de ses nombreux voyages.”

LeMuseeImaginaireDeTintin-museeEnHerbe-Paris4

LeMuseeImaginaireDeTintin-museeEnHerbe-Paris22

Statuette Arumbaya dans “L’Oreille cassée” © France 3 / Culturebox

Tintin expo2

© France 3 / Culturebox

Tintin expo3

© France 3 / Culturebox

“À l’occasion du 40ème anniversaire du Musée en Herbe, Tintin pose sa valise à Paris!
Le Musée Hergé de Louvain-la-Neuve en Belgique est l’invité du Musée en Herbe.
Les visiteurs découvriront une évocation de l’architecture spectaculaire du Musée Hergé.
Des dessins et planches originales retraceront la surprenante diversité de l’œuvre du dessinateur.
Tintin et Milou, mais aussi tous les personnages de la série seront présents.
Au cœur de l’exposition, des vignettes agrandies des albums de Tintin seront confrontées aux œuvres d’art et objets ethnologiques originaux, prêtés par le Musée du quai Branly, le Musée du Louvre et des galeries de renoms. Afrique, Amérique, Egypte, Chine, Tibet, seront représentés par les objets emblematiques des civilisations rencontrées par Tintin
lors de ses nombreux voyages.”

 

Fontes:

http://www.musee-en-herbe.com/

http://fr.tintin.com/news/index/rub/0/id/4344/0/le-musee-en-herbe-le-musee-imaginaire-de-tintin

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris/

http://www.timeout.fr/paris/art/le-musee-imaginaire-de-tintin

http://golem13.fr/exposition-tintin-a-paris/

http://culturebox.francetvinfo.fr/expositions/tintin-pose-sa-valise-au-musee-en-herbe-et-devoile-ses-objets-chines-en-voyage-211585

Read more...


Machado de Assis -” Le Sorcier de Rio” ganha exposição na França

Exposição sobre Machado de Assis homenageia o escritor brasileiro em Paris. Foto: Divulgação

Exposição no Salão do Livro de Paris homenageia Machado de Assis; conto do escritor vira material pedagógico de escolas francesas

O Salão do Livro de Paris abre dia 20 de março, mas para quem é bruxo o tempo cronológisco é apenas um detalhe.

En 2015, le Brésil sera le pays invité du Salon du livre de Paris avec une délégation de 48 auteurs ; l’occasion de montrer au public français la diversité de la culture et l’universalité de la littérature brésilienne et d’affirmer la dimension résolument internationale du Salon.

Entre os dias 20 e 23 de março, 48 escritores estarão em Paris representando a literatura nacional na 35ª Edição do Salão do Livro de Paris.

O Brasil é o país homenageado do evento, que contará com um espaço de 500 m² para exposição e vendas de livros, mais palestras com autores e eventos paralelos como a exposição sobre Machado de Assis. Entre os autores escolhidos para representar o país, estão Cristovão Tezza, Paulo Coelho, Daniel Galera, Fernanda Torres e Sergio Rodrigues.

Os autores brasileiros são convidados pelo Centro Nacional do Livro francês e por um comitê nacional, escolhido pelo Ministério da Cultura (MinC) e pelo Ministério das Relações Exteriores (MRE). Os custos são patrocinados pela empresa Ticket e pela Caixa Seguros.

O projeto Machado de Assis, Le Sorcier de Rio (Machado de Assis, o bruxo do Rio), organiza uma mesa-redonda na Maison de l’Amerique latine e uma exposição na sede da Unesco em Paris, a partir de segunda-feira.

Em Machado de Assis (1839-1908), o apelido só pegou meio século depois de sua morte: “o bruxo do Cosme Velho” .

Cunhado em poema de Carlos Drummond de Andrade, faz referência ao bairro carioca onde o escritor morou a maior parte da vida. Para Drummond, o feitiço machadiano estava em sua literatura sempre na fronteira entre a ficção e o real, e no estilo, que fugia às convenções de seu tempo.

Reputação que faz com que pouca gente hesite em afirmar que o “bruxo” é o principal autor brasileiro de todos os tempos. Também é verdade que, como toda a literatura nacional, mesmo ele é quase invisível fora de nossas fronteiras.

A exposição Machado, Le Sorcier de Rio(“Machado, o bruxo do Rio”), que abre nesta segunda-feira (16) e dura uma semana como evento paralelo do Salão do Livro de Paris , tenta atenuar essa invisibilidade de várias formas.

Machado será homenageado com uma exposição multimídia montada na sede da Unesco, no centro da capital francesa, com painéis que contam sua biografia,vídeos e material interativo de seus textos.

Há também a reedição de obras por três grandes editoras francesas e a apresentação de um dossiê pedagógico orientando professores franceses do ensino fundamental sobre uma iniciação à leitura a partir do “Conto de Escola”, publicado em livro pelo escritor brasileiro em 1896.

A nova edição bilíngue e ilustrada do conto ganhou uma recomendação do ministério da Educação francês, que resolveu adotá-lo como referência para as escolas.

“Machado nunca imaginaria que um dia seria utilizado no ensino fundamental francês. Essa experiência é riquíssima, já que esses alunos nunca ouviram falar do texto, que assim não é tratado com antecedência como um monumento intocável”, diz Saulo Neiva, professor de literatura da Universidade Blaise Pascal, tradutor do texto e curador da exposição.

Saulo Neiva é professor na Universidade Blaise Pascal e autor do projeto Machado de Assis, Le Sorcier de Rio / Chico Porto

Saulo Neiva

“Podemos aproximar esses mundos, fazendo as pessoas descobrirem seus textos através de novas traduções e leituras, incitando os amantes da boa literatura a lê-lo e procurando formar jovens leitores”, acredita.

Neiva também destaca que, depois de encerrado o período do evento, a mostra vai fazer parte do acervo de um dos organismos públicos que financiaram o projeto e vai viajar pela França, para ir a bibliotecas, universidades e centros culturais.

“Espero que isso contribua para perenizar o nosso convite, dirigido ao leitor francês, para que leia ou releia Machado de Assis”, diz.

 

A UNESCO fica na Place de Fontenoy, no 7º arrodissement de Paris e a exposção será na , Sala Miró 3. A Visitação estará aberta ao público de 16/03 a 20/03.

A proposta do evento sobre Machado de Assis é mostrar vida e obra do escritor e fundador da Academia Brasileira de Letras (ABL), pontuada com a relação íntima que ele desfrutava com sua cidade natal, o Rio de Janeiro, que em 2015 comemora 450 anos.

Numa sequência de 12 momentos, o visitante saberá, entre outras coisas, a história das traduções francesas do autor, em painel que aponta as enormes diferenças entre três traduções do conto “O enfermeiro”, feitas em 1909, 1910 e 1911. Ao lado, uma vitrine exibe exemplares de obras machadianas traduzidas.

Também para marcar a presença do Brasil no Salão do Livro de Paris deste ano, três grandes editoras francesas apostaram em edições deMachado de Assis:
- A editora Classiques Garnier, herdeira da editora original do autor, publicou a primeira edição bilíngue da coletânea de contos Várias histórias/ Histoires diverses (edição, tradução e notas por Saulo Neiva).
- Já seus principais romances foram reeditados pela Métailié, com novas capas e traduções revistas;

- A editora Chandeigne decidiu divulgar gratuitamente entre professores, conselheiros pedagógicos e inspetores do ensino um dossiê sobre a experiência de leitura nas escolas francesas de ensino fundamental. Os estudantes trabalharam durante um ano letivo sobre edição ilustrada de Conto de Escola, de Machado de Assis.

 

 

Fontes:

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris/

http://www.salondulivreparis.com/Programme.htm

http://www.salondulivreparis.com/Bresil-2015.htm

https://fr.unesco.org/events/exposition-machado-assis-sorcier-rio

https://riofrancophone.wordpress.com/2008/10/30/machado-de-assis-le-sorcier-des-mots/

http://www.parisworldwide.com.br/ponto-de-encontro/um-lugar-em-paris/unesco-encruzilhada-do-mundo

http://www.gazetadopovo.com.br/caderno-g/machado-de-assis-viaja-para-paris-by6jrguuhuar4lx1399hvcz3s

https://www.facebook.com/MachadodeAssisSorcierdeRio

http://jconline.ne10.uol.com.br/canal/cultura/literatura/noticia/2015/03/15/machado-de-assis-ganha-exposicao-na-franca-172044.php

Read more...


Prefeitura dá 6 dicas para encontros amorosos em Paris

Prefeitura dá dicas de encontros amorosos em Paris. Foto: Ludovic Marin/AFP

Vou dividir com vocês um post do site ela.oglobo.com/blogs/paris/ escrito por Ana Paula Cardoso . Eu apenas adicionei as imagens que encontrei no Google.

A beleza de Paris é um convite ao romance. Mas nem sempre os encontros amorosos por aqui são assim tão fáceis, como nos mostram os filmes.

Então, para dar uma ajudinha aos solteiros, nada como um cupido oficial. Com o sugestivo nome de “Encontros amorosos em Paris: 6 episódios”, o espaço destinado a sugestões de entretenimento, do site da prefeitura de Paris, indica seis diferentes tipos de eventos, ou lugares, mais propensos à paquera. Isso é que é se preocupar com o bem-estar do cidadão!

honeymoon in Paris

A praticamente duas semanas do Valentine’s Day (o dia dos namorados no hemisfério norte, comemorado em 14 de fevereiro) quem está sozinho já pode dispor do mapa da mina. E mesmo se você não encontrar sua alma gêmea em Paris, voilà, ao menos poderá dizer que se divertiu.

foto Fabiana Maruno.

Veja os 6 temas recomendados para os melhores encontros amorosos, indicados pela prefeitura de Paris:

Romance in Paris by HeboFreire

1) Encontros amorosos em Bares. Em matéria de encontros amorosos, os barzinhos são um clássico. Em torno de um copo, tudo fica mais fácil. Para os que não bebem, ainda resta a estratégia de se recostar no balcão e observar quem passa. DICAS: entre os bares mais apropriados para o “draguer” estão o Le Rosa Bonheur, no parque des Buttes Chaumont; o Le Fantôme; e o Le  Café Cheri(e), 44 Boulevard de la Villette.

Le Rosa Bonheur

Rosa Bonheur, Paris © DR

Le Rosa Bonheur

Le Fantôme

Le Fantôme

Café Chéri(e) à Belleville

2) Encontros amorosos gastronômicos. Tempere sua vida sentimental com sabor francês. Convém seguir o ritual de um bom cardápio parisiense: calma para degustar cada etapa do menu, da entrada até a sobremesa…DICAS: O menu das sugestões vai desde os cursos de culinária gratuitos oferecidos em mercados de rua parisienses (são ótimos e divertidos) até cursos de gastronomia em escolas mais requintadas como a Le Cordon Bleu ou do Alain Ducasse, até a novidade importada recentemente dos Estados Unidos, oCookNmeet, encontros em casas de gente que gosta de cozinhar e ensinar receitas, a preços bem mais em conta que restaurantes.

3) Encontros amorosos musicais. Maníacos por música, anotem os lugares! Encontre uma seleção bem orquestrada, para não desafinar na busca do amor. DICAS: Paris tem uma agenda vasta de shows e festas animadas por DJs. Mas também pode-se aprender violão ou outros instrumentos, nos diversos cursos oferecidos pela prefeitura, em suas sedes regionais de cada bairro (as mairies).

4) Encontros amorosos internacionais. A cidade mais visitada do mundo não poderia esquecer dos seus visitantes e moradores de outras nacionalidades. Praticar diferentes línguas, nada mais adequado para quem busca um amor sem fronteiras. DICAS: do aplicativo Tinder,muito utilizado por quem está só de passagem na cidade, até uma mostra de cinema na embaixada do Canadá, passando por atelier de conversação em língua estrangeira. Não faltam oportunidades de se conhecer estrangeiros em Paris..

5) Encontros amorosos Intelectuais. Mentes brilhantes ou simpatizantes da cultura em geral, encontrai-vos! Encontros amorosos espirituais e inspiradores, numa cidade onde não faltam museus, palestras, exposições e afins, é barbada. DICAS:  são tantos os programas culturais que é preciso dar foco. O Café de Phrases, conhecido como o primeiro café filosófico de Paris, promove encontros aos domingos, entre 10h30 e 12h15. Fica no número 7 da Place de la Bastille.

Também tem a livraria com cave à vins, La Belle Hortense, que  é um convite ao estímulo intelectual do coração, no número 31 da rue Vieille du Temple.

La Belle Hortense, bar à vin littéraire Chaque mois dans Bibliovino, découvrez ce qu’il faut lire ..

 

Ou então, que tal aproveitar o evento “Un soir, un musée, un verre“, cuja ideia é reunir pessoas interessadas em arte, em torno de bebidas e boa conversa.

6) Encontros amorosos esportivos. Você é um fanático torcedor do Paris Saint-Germain? Ou um corredor de maratona? Quem sabe apenas um esportista de fim de semana? Não importa. A proposta aqui são encontros de amor para quem gosta de (e do) esporte. DICAS: a maratona de Paris é em abril. Em março, tem amistoso da seleção brasileira contra a francesa no Stade de France. Jogos de rúgbi sempre são boas pedidas para ver gente interessante e puxar assunto sobre as regras. Sem falar nas mais de 30 piscinas públicas parisienses, onde se paga em média 3 euros e se pode nadar – e paquerar – à vontade.

Escolha o tema com o qual você mais se identifica e boa sorte!

Encontros amorosos em Paris. Foto: AFP

Fonte:

http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris/

Read more...

Flickr

RSS URL not defined

Entre em contato!

Tel. 55 11 9641 0432

Áreas atendidas – São Paulo, SP
_Higienópolis
_Pacaembú
_Perdizes
_Bela Vista
_Outras áreas: consulte!

Visite minhas redes sociais:

Scroll to top