Invent


Jimmy Choo em Paris

Seus sapatos são como joias, enquanto os outros todos são bijuterias. Os materiais são de primeira e há sandálias de seda, outras com couro de crocodilo, com detalhes surpreendentes como laços de veludo e fivelas de repletas Swarovski. Queridinha das celebridades, suas criações são presença obrigatória nos tapetes vermelhos e virou referência pop em filmes como “O Diabo Veste Prada” e até em uma música de Beyoncé. Essa é a descrição mais fiel da bem sucedida marca de luxo JIMMY CHOO, cujos produtos revelam exuberância através do trabalho artesanal.

Resultado de imagem para jimmy choo

Resultado de imagem para jimmy choo

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

Nos últimos anos, enquanto muitas marcas se debateram para driblar a crise mundial, o principal desafio da JIMMY CHOO foi conseguir atender uma demanda crescente de aficionados pela marca e aumentar sua linha de produtos, como por exemplo, em 2011, quando lançou a primeira coleção de sapatos masculinos, e sua primeira linha de perfumes. Além disso, inaugurou uma segunda loja em Paris na Rue Saint-Honoré.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

A loja de Paris possuía todos os elementos da marca JIMMY CHOO: uma ala VIP, mais espaço para exibir os produtos e uma localização privilegiada, ao lado de marcas como a Colette e hotéis como o The Ritz Carlton.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris Rue Saint-Honoré.

A França é atualmente o segundo maior mercado da marca inglesa, depois do Reino Unido. Fora da Europa, a JIMMY CHOO inaugurou lojas em Macau, Pequim, Tóquio e Los Angeles. Além disso, outras unidades foram inauguradas na Arábia Saudita, Dubai e Hong Kong. Mais recentemente, em 2014, além de abrir capital na Bolsa de Valores para ampliar sua expansão global, com o objetivo de melhorar o posicionamento de luxo da marca e criar uma oferta mais personalizada para seus clientes, foi lançado o serviço Made to Order, que oferece a possibilidade de customizar alguns modelos de sapatos. O exclusivo serviço oferece sapatos customizáveis com diferentes cores, materiais (cetim, camurça, lantejoulas ou peles exóticas) e até altura de salto. O toque final deste serviço inédito: cada par de sapatos pode ser decorado com um monograma com as iniciais à escolha de cada cliente. Este ano também foi marcado pelo lançamento do primeiro perfume masculino da marca.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris av montaigne

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris av montaigne

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris av montaigne

A loja da marca de sapatos Jimmy Choo abriu sua primeira loja na Av. Montaige . O novo conceito tem assinatura do arquiteto Christian Lahoude, que privilegiou as cores da Maison, como o bronze, sofás de veludo bege, lustre sob medida e balcões em mármore, dando uma atmosfera “cosy” ao espaço.

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris 34, Avenue Montaigne

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris 34, Avenue Montaigne

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris 34, Avenue Montaigne

O segredo para manter o luxo e a exclusividade dos produtos JIMMY CHOO está na distribuição limitada dos calçados, bolsas e acessórios aos pontos de venda selecionados e na escolha das localizações mais exclusivas do mundo para abrir suas lojas próprias, ao lado de grandes nomes da moda como Dior, Armani e Prada. Os sofisticados calçados podem ser encontrados em butiques instaladas em endereços como a Avenida Montaigne (Paris), 5° Avenida (Nova York) e Sloane Street (Londres). Seus produtos, sobretudo os sapatos, que começam custando US$ 450 e podem chegar facilmente ultrapassar US$ 2 mil, encantam estrelas como Madonna, Cameron Diaz, Catherine Zeta-Jones e Sarah Jessica Parker. A JIMMY CHOO atualmente é conhecida internacionalmente como a marca de acessórios preferida de estilistas, celebridades e mulheres cosmopolitas que seguem a moda de luxo. Os sapatos, as bolsas e os pequenos artigos de couro (como carteiras e cintos) são inovadores e exclusivos, mas mantêm a elegância clássica, a beleza e a sensualidade das quais o nome JIMMY CHOO é sinônimo.

Jimmy Choo

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris 34, Avenue Montaigne

 

Resultado de imagem para Jimmy Choo Paris 34, Avenue Montaigne

Atualmente a marca JIMMY CHOO possui mais de 210 lojas espalhadas por mais de 45 países ao redor do mundo. Os produtos da marca, incluindo calçados, bolsas, perfumes e acessórios, podem ser encontrados também nas melhores lojas de departamento do mundo. No Brasil, a marca tem uma butique no luxuoso shopping Cidade Jardim em São Paulo, inaugurada em 2010. Os calçados representam 75% do faturamento da marca, que em 2016 atingiu ₤364 milhões. A marca possui oito coleções anuais e uma revista bimestral que coincide com o lançamento das coleções principais.
Resultado de imagem para jimmy choo shopping cidade jardim sp

 JimmyChoo.jpg

Jimmy_Choo_flagship_London.jpg

jimmychoo6.jpg

Resultado de imagem para jimmy choo shopping cidade jardim sp

Jimmy Choo Paris
34, Avenue Montaigne – 75008 – Paris

376 Rue Saint Honoré, 75001 Paris

Fonte:

http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2007/04/jimmy-choo-o-arteso-dos-calados.html

http://lulacerda.ig.com.br/paris-por-paulo-pereira-80/

http://www.vogue.fr/mode/news-mode/diaporama/la-reouverture-de-la-boutique-jimmy-choo-avenue-montaigne/22224#la-reouverture-de-la-boutique-jimmy-choo-avenue-montaigne-1_image1

http://webluxo.com.br/guia/anuncio/jimmy-choo/

http://glamurama.uol.com.br/jimmy-choo-lanca-colecao-pre-fall-no-shopping-cidade-jardim/

Read more...


Boutique de Chá, Lilly of the Valley

Durante um certo período, Paris ficou bem fraca em termos de casas de chá. Recentemente, várias novas foram aparecendo no cenário parisiense, e uma que ganhou destaque por sua decoração simples e campestre, além da qualidade dos chás franceses e bio, é a boutique de chá “Lilly of the Valley”. Um verdadeiro paraíso para os amantes de um bom chá e doces criados feitos pela dona da loja, é como se você estivesse em uma casa no campo em pleno coração do marais.

Um momento de rara tranquilidade e degustação está te esperando neste endereço.

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Salon de thé lily of the valley paris brunch

Boutique de Cha, Lilly of the Valley

12, Rue Dupetit-Thouars – 75003 – Paris

 

Fonte:

http://lulacerda.ig.com.br/paris-por-paulo-pereira-80/

http://moncarnetdadresses.fr/mes-adresses-brunch-lily-of-the-valley/

Read more...


Sebastian Gaudard – Patisserie Salon de Thé

colagem 4

Na sua próxima ida a Paris, quando você for visitar ou fazer compras no Palais Royal, não deixe de conhecer a discreta e low profile casa de chá do patissier Sebastien Gaudard, conhecido por fazer um dos melhores croissants de Paris.

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Com uma grande variedade de chás em um ambiente cozy e parisiense, com deliciosos doces, tortas e sobremesas, brioche Nanterre, Le Kougelhopf, entre outros.

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Um momento de tranquilidade com vista para o lindo jardim do Palais Royal.

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Resultado de imagem para patisserie gaudard paris

Sebastien Gaudard
1, Rue des Pyramides – Palais Royal – 75001 – Paris.

HORAIRES D’OUVERTURE

LE SALON DE THÉ

MARDI – VENDREDI

de 12h00 à 19h00

SAMEDI ET DIMANCHE

de 10h00 à 19h00

dès 10h00 pour le petit déjeuner

de 11h30 à 15h00 pour le “brunch”

LA PÂTISSERIE

MARDI – VENDREDI

de 10h00 à 19h30

SAMEDI

de 10h00 à 19h30

DIMANCHE

de 10h00 à 19h00

 

Fonte:

http://www.sebastiengaudard.com/

http://lulacerda.ig.com.br/paris-por-paulo-pereira-79/

https://www.sortiraparis.com/hotel-restaurant/bar-cafes/articles/75067-sebastien-gaudard-ouvre-un-salon-de-the-a-paris

http://scally.typepad.com/cest_moi_qui_lai_fait/2017/03/salon-de-the-patisserie-sebastien-gaudard-paris-tuileries.html

https://www.timeout.com/paris/en/restaurants/salon-de-the-sebastien-gaudard

http://www.gillespudlowski.com/107708/produits/paris-1er-le-salon-de-sebastien

Read more...


Boutique Caudalie no Carroussel do Louvre

Resultado de imagem para Caudalie no Carrousel do Louvre

Nova boutique no “Carrousel do Louvre“, da marca de cosméticos Caudalie.

A história da Caudalie teve início nas vinícolas da família de Mathilde, na região de Bordeaux, na França. Ela conta que, conversando com um pesquisador que frequentava o castelo/vinhedo da família (olha que phyno), ela descobriu as propriedades da uva enquanto ‘cosmético’, e teve, então, a ideia de criar a Caudalíe, cujas fórmulas dos produtos são ricas em ativos naturais e, principalmente, derivados da uva. A marca tem, inclusive, uma rede de spas espalhadas por várias cidades do mundo.

Nas palavras de Bertrand, o sócio e marido, seus produtos são  ‘naturais, eficazes e glamorosos’. Também são livres de parabenos, corantes, conservantes, derivados de petróleo, derivados de animal, entre outras coisas.

 Em um espaço de 60m2, em frente a loja da Apple, a marca de cosmeticos francesa instalou sua nova loja com toda a gama de produtos para tratamento e beleza. Várias novidades de cremes da vinoterapia estão sendo apresentados no novo espaço.

Depois de fazer uma visita cultural no Louvre, vale visitar!

Boutique Caudalie Louvre. 99 rue de Rivoli 75001 Paris France

Fonte:

http://lulacerda.ig.com.br/paris-por-paulo-pereira-80/

https://www.realestate.bnpparibas.fr/bnppre/fr/presse/communiques-presse/paris-1er-caudalie-sinstalle-60-m-sein-carrousel-louvre-2015-06-17-p_1631173.html

Read more...


Place de Fürstenberg

A place de Fürstenberg é conhecida por ser uma das mais charmosas praças de Paris.

O pintor Delacroix teve o bom gosto de se instalar no numero 6 . Veja como ele a pintou…

Se você está a procura da alma de Saint Germain des Près, é aqui que é preciso ir .

Para os puristas, a praça é na realidade uma rua, porque o centro não impõem um sentido giratório, mas deixemos isso de lado, o que interessa aos verdadeiros românticos , é o ambiente único que acontece quando a noite cai e seus lindos lampadários se acedem….

” Ela não tem nada de especial a não ser um charme discreto de cidade do interior. Ela é pequena, tão pequena que às vezes ela é chamada de placette e no seu centro vivem quatro grandes árvores. Na realidade mais uma rua que uma praça, seu comprimento é de 82 metros, da rue Jacob à rue de l’Abbaye. Construída em 1699 e batizada com o nome do cardeal Fürstenberg.

Os prédios à sua volta não pertencem à categoria privilegiada e chamada “arquitetura haussmaniana”. São prédios mais discretos, sem a elegância um pouco exagerada dos imóveis construídos com a famosa pedra calcária parisiense.  Eles datam do século XVII e guardam a memória de uma época. Alguns privilegiados aí moram e os apartamentos são vendidos e passados de mão em mão dentro de um círculo fechado.

Como já disse no número 6 se encontra o Musée Delacroix, atelier e casa do pintor até sua morte em 1863.

delacroix_4

MUSEE-DELACROIX

Ela é o coração de Saint Germain, bairro que sempre soube misturar gêneros diferentes: literatura, música, gastronomia, teatro, arte e moda. Bairro que cultiva a estética e um estilo de vida sofisticado. Um lugar fora do tempo, aparentemente calmo, onde o Atelier de Delacroix, as belas vitrinas dos grandes nomes da decoração e as quatro árvores criam o décor de cartão postal.

Os nostálgicos de uma Saint Germain que não existe mais encontram neste mínimo espaço a lembrança de um tempo passado.

Meu cantinho preferido de Paris.

Place de Furstenberg
75006, métro Saint Germain-des-Prés

Fontes:

http://www.pariszigzag.fr/paris-au-quotidien/lieux-romantiques-a-paris
http://ela.oglobo.globo.com/blogs/paris/posts/2013/03/04/dez-lugares-romanticos-em-paris-488429.
http://www.conexaoparis.com.br/2012/08/20/praca-de-furstenberg/
http://www.pariszigzag.fr/sortir-paris/balade-paris/le-charme-discret-de-la-place-furstenberg-paris-visite-guidee-saint-germain-des-pres
http://www.paris-a-nu.fr/la-place-de-furstenberg/

Read more...


Maison Goyard

Resultado de imagem para maison goyard em sao paulo

Fachada da primeira loja da marca

A francesa GOYARD, maior referência de luxo no segmento de malas e bolsas, é um verdadeiro mito nos mercados onde atua. A marca, extremamente exclusiva e seletiva, tem enorme foco na personalização, que existe de várias formas, desde os baús e malas feitos completamente sob encomenda até as iniciais e faixas que são pintadas nos produtos, de forma que os clientes possam ter algo único, o que é o verdadeiro significado do luxo. Responsável por criar acessórios eternos para o estilista Karl Lagerfeld e a Duquesa de Windsor, a marca traz em seus detalhes o melhor da sofisticação e exclusividade francesa.

Tudo começou com François Goyard, um jovem artesão de apenas 17 anos que veio da Borgonha para Paris, em 1845, com o objetivo de trabalhar como aprendiz na Maison Morel, fundada em 1792 e então maior e mais prestigiosa fabricante de baús de viagem, caixinhas, cofrinhos e embalagens, que na época era um verdadeiro sucesso entre a nobreza francesa. Em oito anos, ele se transformou no herdeiro profissional do célebre Henri Morel e teve então uma ideia muito original e ousada: abriu uma loja ao público, em 1853, no número 233 da lendária rua Saint-Honoré (onde está até hoje, no mesmo prédio) e começou a oferecer suas sofisticadas e primorosas criações que levavam requinte e luxo na hora de viajar, iniciando um novo negócio, rebatizado como La Maison Goyard, que seria expandido nas três décadas seguintes, por seu filho Edmond.

Resultado de imagem para maison goyard são paulo

Entre as inovações da GOYARD na época, destacam-se a abertura de filiais nos luxuosos destinos de férias dos ricos, como por exemplo, Bordeaux, Biarritz e Monte Carlo, e de corners dentro das lojas de John Wanamaker, considerado pai do conceito de loja de departamento, nas cidades da Filadélfia e Nova York. A marca sempre optou por utilizar na confecção de seus produtos uma mescla de cânhamo (fibra natural que compõem boa parte de suas peças até hoje), linho e algodão de primeira classe. Além disso, recebia um tratamento final com uma goma, garantindo assim a impermeabilidade e resistência a chuva e a maresia.

Resultado de imagem para maison goyard são paulo

Na virada do século, Edmond resolveu participar de várias feiras e exposições internacionais, conquistando inúmeros prêmios e aumentando ainda mais o prestígio da marca. Nesta época, a GOYARD abriu um departamento especificamente para atender aos proprietários de animais de estimação, entre eles cachorros, gatos e até macaquinhos, que queriam seus bichanos vestidos com acessórios da grife francesa como sapatinhos, coleiras e caixas de transporte. Rapidamente a GOYARD se tornou a favorita da aristocracia europeia conquistando também clientes fiéis ao redor do mundo como o bilionário americano John Rockfeller, a atriz francesa Sarah Bernhardt, o escritor escocês Conan Doyle, criador do personagem Sherlock Holmes, a família Rothschild, o Duque e a Duquesa de Windsor, o Marajá de Kapurthala, o pintor Pablo Picasso e Gregory Peck.

Resultado de imagem para maison goyard são paulo

No dia 3 de dezembro de 1931 a GOYARD oficialmente obteve a patente do Malle Bureau, um baú de viagem que poderia ser convertido em um pequeno mobiliário, com uma mesa capaz de acomodar uma máquina de escrever. Ao contrário da rival Louis Vuitton, que se tornou um colosso nas mãos de Bernard Arnault, hoje proprietário do maior conglomerado de luxo do mundo, a GOYARD se manteve pequena e fiel às suas origens, fabricando todas as suas malas artesanalmente, inclusive as costuras, e unindo forças com outras marcas tradicionalíssimas, como os caviares da Prunier, para produzir malas e baús de viagem sofisticados para se carregar de tudo, desde escritórios portáteis a equipamentos necessários para jogar pólo (da sela ao chicotinho) ou degustar um champanhe ou um chá a qualquer instante. Apesar de toda a tradição e história, a GOYARD passou por maus momentos, principalmente no período de pós-guerra, quando as lojas de Boston, Biarritz e Monte Carlo foram fechadas.

Na década de 1990 a marca, que havia praticamente caído no esquecimento, ficando restrita a um pequeno nicho de endinheirados, foi adquirida pela família Signoles, que rapidamente começou aos poucos a introduzir bolsas mais modernas e com diferentes colorações e padrões. Além disso, os novos proprietários conseguiram resgatar os valores da marca e o processo de fabricação original, além de conservar o espírito familiar, fórmula que faria com que a GOYARD retornasse ao seu posto de marca de luxo. O sucesso foi crescente e nas duas décadas seguintes a Maison francesa caiu no gosto das celebridades mundiais por oferecer produtos práticos e extremamente exclusivos. Todas as peças podem ganhar listras e as iniciais de sua proprietária através dos serviços de personalização. Redescoberta por celebridades e fashionistas, a GOYARD voltou às páginas das revistas de moda graças à bolsa-fetiche Saint Louis Tote, vendida em três tamanhos e com uma exuberante cartela de cores. Outro modelo de sucesso é a shopping bag, que vem acompanhada com uma carteira pendurada, e tem várias opções de cores como verde, amarelo, laranja, azul, vinho e vermelho.

Resultado de imagem para maison goyard são paulo

Resultado de imagem para maison goyard são paulo
Devido ao enorme sucesso de seu exclusivo monograma (batizado de Chevron, que significa viga, em francês, e data de 1892), clássica estampa com espécies de galhos entrelaçados em forma de Y e em tons de preto, bege e marrom, que remete à atividade ancestral da família, o transporte de madeira no Rio Sena (os pontos imitam troncos empilhados), a grife francesa expandiu suas operações para os Estados Unidos, Hong Kong e Japão, mercados ávidos por produtos luxuosos e sofisticados. No ano 2000, a marca alcançou grande popularidade ao iniciar uma parceria bem sucedida para venda de seus exclusivos produtos com a badalada loja de departamentos de luxo Barneys New York.
 
Uma das últimas e mais brilhantes criações da marca foi a Lancôme/Goyard Vanity Case, uma pequena maleta de maquiagens com itens da sofisticada Lancôme, vendida ao preço de US$ 18.000.
Além disso, buscando atrair novos consumidores a Maison contratou o artista plástico Toland Grinnell para capturar a essência da marca, só que desta vez para um novo público. O artista criou um baú que no seu interior possuía um sistema de som com 1.000 watts de potência, integrado a um iPod, mini-bicicletas com a marca GOYARD em seus assentos e acessórios, mini-refrigerador para cervejas, grelhas da marca George Foreman, skates desenhados e conversor de energia, para que o baú mágico possa funcionar em qualquer lugar do planeta, sem deixar os festeiros na mão.
Resultado de imagem para maison goyard são paulo
A marca apresenta ainda uma linha de produtos para animais que inclui entre outros itens pratos para viagem e coleiras.
Goyard img 2
Goyard img 5
Goyard img 3
Goyard img 4
Em 2010 ocorreu outro grande lançamento: um livro de 200 páginas sobre a história da Maison que traz imagens de modelos criados ao longo dos anos, com edição de apenas 233 cópias, que vinha em uma mala própria, numerada. O preço? €6.000 e quem quisesse comprar, tinha que marcar um horário para ver a disponibilidade.
maison goyard
maison goyard
 maison goyard
maison goyard
maison goyard
O que faz a marca ser tão desejada é justamente não lançar coleções, e sim manter o espírito tradicional, baseado no que já foi produzido no passado. O máximo que se faz, de vez em quando, é lançar novas cores. Como é o caso da linha de produtos na cor cinza, introduzida recentemente. Já no Brasil a marca inaugurou seu primeiro ponto de venda em 2008 dentro da Villa Daslu em São Paulo, para vender suas bolsas, malas e acessórios em couro. Em 2012 a GOYARD inaugurou sua primeira loja localizada no hemisfério sul no shopping Iguatemi JK, também em São Paulo. A unidade é a única no mundo a oferece um atelier com uma artesã que faz o marquage, marcação das iniciais da cliente nos acessórios e que pode ser acompanhado pela consumidora. Isto vale para qualquer produto da marca, seja ele recém-adquirido, herdado ou trazido do exterior. As paredes da loja são idênticas às da loja original na rua Saint Honoré em Paris. A loja com 120 m² vende as coleções de bolsas (incluindo modelos consagrados como Saigon, Vendome, St. Honoré e Montecarlo), malas, baús e outros pequenos acessórios como carteiras.

Com 19 lojas espalhadas pelos endereços mais “its” do planeta a Maison Goyard chegou ao Brasil com uma loja em 2012, juntamente com a abertura do Shopping JK Iguatemi.

A loja do JK é linda e traz diversos itens da marca, como as famosas bolsas St Louis, os baús, as carteiras, entre tantas outros objetos de desejo.

Resultado de imagem para maison goyard em sao paulo

Resultado de imagem para maison goyard em sao paulo

Existe também uma área de personalização, o famoso “marcage”, onde é possível gravar as iniciais do cliente em alguns produtos. Vale a pena a visita em uma das mais exclusivas lojas que estão no Brasil.

Resultado de imagem para maison goyard em sao paulo

Resultado de imagem para maison goyard livre

Em ação inédita, a grife investiu na montagem de um atelier de marquage dentro da própria loja, que permite a personalização “in loco” dos produtos comprados. Serviço inexistente até mesmo na loja-sede da marca, na Rue Saint Honoré, em Paris. Os pedidos feitos ali seguem para serem customizados na fábrica, em Carcassone (França).

 Resultado de imagem para maison goyard em sao paulo

Entre as alternativas de personalização, por enquanto, estão listas e monogramas, que serão feitos manualmente por uma artesã especialmente treinada na França com tintas preparadas com exclusivos pigmentos naturais, elaborados por um processo guardo a sete chaves pela Goyard.

 

Entre os produtos-ícones da marca criada em 1853 – época em que viajar era sinônimo de poder e elegância – por François Goyard, e adquirida em 1998 pela família Signoles estão as bolsas Saigon, Vendome, St. Honoré e Montecarlo. Todas com estampas atemporais

Esta será a 16ª loja da marca no mundo. Além de São Paulo e Paris, apenas Londres, Nova York, Los Angeles, São Francisco, Boston, Osaka, Kyoto, Tóquio, Hong Kong e Seul possuem esse privilégio.

A GOYARD, sofisticada grife francesa marcada pela exclusividade, possui apenas 18 lojas ao redor do mundo espalhadas por cidades como Paris, Nova York, São Paulo, Hong Kong, Londres, Seul, Kyoto, Osaka, Tóquio, Xangai, Beijing, Boston, Beverly Hills e São Francisco. Os produtos ainda são encontrados em poucas e exclusivas lojas de departamento, entre as quais Bergdorf Goodman e Barneys Nova York. Hoje em dia, a GOYARD produz pedidos especiais e peças sob encomenda, feita na pitoresca cidade de Carcassonne no interior da França.

Quer saber mais? Vá na loja em São Paulo no Shopping JK ou entre no site: www.goyard.com

As palavras de Dhora Costa, autora do livro “A história da bolsa”, da Editora Matrix, para “Comquebolsa” resumem claramente a importância da Goyard:  ”a marca francesa GOYARD, uma das maiores referências de luxo no segmento de malas e bolsas do mundo, produz objetos exclusivos e personalizados há mais de um século” e “chegou ao século XXI, era das massificações e da produção em série dos produtos de moda, revitalizada, mas ainda com um know how único que reúne competências de grandes artesãos para atender os desejos dos seus clientes, diferenciando-se das demais marcas de acessórios de luxo, por não seguir tendências comuns, mas inspirando-se em elementos atemporais justificando, assim, a sua longevidade no mercado mundial de acessórios.”

Resultado de imagem para maison goyard são paulo

Fontes:

http://luxo.ig.com.br/objetosdedesejo/2012-05-31/goyard-paulistana-sera-a-primeira-a-ter-servico-de-personalizaca.html

https://certusretail.wordpress.com/2013/07/06/maison-goyard/

http://www.comquebolsa.com.br/materiabolsagoyardfotoscomquebolsa/

http://styledchicas.blogspot.com.br/2012/11/e-uma-louis-vuiton-uma-dior-nao-e-goyard.html

http://blogdolorenzetti.com.br/2014/04/04/conheca-a-grife-de-bolsas-que-as-celebridades-usam/

http://www.goyard.com/en/news/new-boutique-openings

http://mundodasmarcas.blogspot.com.br/2009/10/goyard.html

http://www.paulalorentz.com.br/?p=1726

http://lariduarte.com/goyard-love-or-hate-it/sem-categoria

http://suportecomunicacao.com.br/blog/goyard-apresenta-chic-du-chien/

http://www.devambez.com/en/233/#1

Read more...


Sébastien Perez

Sebastian nasceu em Beauvais.    Durante sua infância, ele sonha e inventa histórias que ele mantém para si mesmo.  O seu encontro com Benjamin Lacombe, autor / ilustrador, lhe deu o desejo de compartilhá-los.

Em 2007, aparece o primeiro livro de imagens Destins de Chiens  (Ed. Max Milo Juventude).

Resultado de imagem para Destins de Chiens

“Nombre d’enfants ont vécu le deuil de leur animal domestique sans savoir comment se débrouiller avec cette première grande séparation. Doivent-ils taire le souvenir de leur compagnon de vie, ou -bien au contraire – laisser parler sa mémoire ? Destins de chiens propose une série de petits contes pour libérer cette mémoire… Sous forme de poèmes illustrés en noir et blanc, les destinées parfois terribles, parfois drôles ou tendres de ces quinze compagnons vous sont contées dans un humour noir proche de l’esprit d’un Tim Burton ou d’un Edward Gorey…”

Resultado de imagem para Destins de Chiens

Ele gosta de explorar os seus medos e  a escrita torna-se uma cura para os medos de criança. Ele descobre que ele pode misturar história e ficção e  que o humor pode perfeitamente ir ao lado do cinismo e  do fantástico. Mas  ele não se esquece de mostrar em seus textos as ideias  de memória e tolerância.

Resultado de imagem para Facéties de Chats livre de sebastien perez

“Le chat… Quel animal mystérieux que celui-là !

Vous êtes-vous déjà demandé quelles pensées secrètes fleurissent derrière leurs yeux envoûtants ? Quelles idées farfelues leur passent par la tête ? Ou bien s’ils vivent des aventures extraordinaires lorsque vous avez le dos tourné ?

Eux seuls le savent mais voici imaginées ici pour vous quinze des plus facétieuses histoires de chats.”

Resultado de imagem para Facéties de Chats livre de sebastien perez

Apaixonado e curioso, Sébastien gosta de explorar territórios ricos e variados. Depois de descobrir as bruxas Généalogie d’une Sorcière   (Ed. Seuil), estudou as fadas  L’Herbier des Fées (Ed. Albin Michel) e perfurou os mistérios de Peter Pan em Journal de Peter  (Ed. Milan Jeunesse ), que agora estende seu universo saltando  de cabeça no para o mundo adulto, com a escrita de seu primeiro romance gráfico … 

Resultado de imagem para Généalogie d'une Sorcière

Resultado de imagem para Généalogie d'une Sorcière

“Alors qu’elle explore le grenier de sa grand-mère, Lisbeth découvre un étrange et poussiéreux grimoire. En tournant les pages, elle apprend que sa douce grand-mère Olga serait une sorcière. Et la petite fille n’est pas au bout de ses surprises.”

L’Herbier des Fées, texte de Sébastien Pérez et illustrations de Benjamin Lacombe

9782226230966_1_75

“L’Herbier des Fées est le carnet intime d’un éminent botaniste russe du siècle dernier. Détaché du Cabinet des sciences occultes de Raspoutine, en quête d’un élixir d’immortalité, ses recherches le mènent en forêt de Brocéliande, célèbre pour ses plantes médicinales et ses légendes. Ce qu’il découvre dans ces bois va bouleverser sa vie à jamais…”

l-herbier-des-fees-587993

eriophora

“Un jeune garçon arrive dans un orphelinat. Il a tout oublié, jusqu’à son prénom. Mais « Peter », celui que lui a choisi la mère supérieure, lui plaît. Maintenant, pour ne rien perdre de son histoire, il écrit et dessine dans un carnet toutes les aventures qu’il vit au jour le jour. Pour tout raconter à sa mère quand il la retrouvera… Le Journal de Peter, c’est l’histoire intime de ce jeune orphelin, devenu le célèbre Peter Pan.”

Resultado de imagem para Journal de Peter  livre de sebastien perez

Resultado de imagem para Fils de dragon, livre de sebastien perez

“Yomon a grandi parmi les dragons. Fasciné par ces créatures majestueuses qu’il considère comme sa famille, Yomon se sent prisonnier de son corps d’enfant. Il le sait : son cœur est celui d’un dragon. Une nuit, il se rend auprès de Quiron, le plus ancien des dragons. Celui-ci lui raconte comment les rois des hommes ont combattu et mutilé les dragons pour dérober qui une dent, qui une griffe, qui des ailes, le souffle tonitruant et la pierre de feu. Pour devenir un dragon, Yomon va devoir récupérer ces 5 trésors. Dès la levée des brumes, sans hésiter, le garçon débute sa quête. Mais chaque roi lui réserve un accueil différent, et Yomon n’est pas au bout de ses surprises…”

Resultado de imagem para Fils de dragon, livre de sebastien perez

“Blanche-Neige, Cendrillon, Peau d âne, Raiponce…
Les plus célèbres princesses de contes sont prises à contre-pied pour dévoiler en deux phrases une anecdote amusante autour de leurs pieds !
Sous les beaux atours, on découvre des pieds poilus, des pieds aux ongles longs comme ceux d un grizzli ou encore des pieds qui sentent la sardine… Une façon de faire glisser avec humour ces jolies princesses de leur piédestal !”

Resultado de imagem para pieds de princesses, livre de sebastien perez

Lorsque Ouki se réveille un matin, le soleil a disparu ! Déterminée, La petite Inuit part à la recherche de l’astre perdu. Elle rêve de s’évader en volant comme un oiseau, toujours plus haut, attirée par la lumière..
Entre légendes et réalité, son voyage jusqu au bout du monde la mènera à un dilemme : continuer à suivre le soleil ou rester auprès des siens.
Une prise de conscience sur la soif de liberté et les traditions qui perdurent.

Fontes:

http://www.sebastienperez.com/

https://lateteenclaire.wordpress.com/2015/11/07/lherbier-des-fees-texte-de-sebastien-perez-et-illustrations-de-benjamin-lacombe/

Read more...


Museu Maison Victor Hugo – Paris

museu victor hugo

 Em torno das arcadas da Place des Vosges, no número 6  encontramos o Hotel Rohan-Guéménée onde viveu o escritor Victor Hugo de 1832 à 1848 e hoje é o Museu Victor Hugo.

L´Hôtel de Rohan-Guéménée: no segundo andar, Victor Hugo viveu por 16 anos

Vista da janela do seu apartamento

Com uma vida pessoal, política e afetiva digna de um homem incomparável e absolutamente único, Victor Hugo, tem um pouco de sua vida exposta na Maison de Victor Hugo em Paris, mais exatamente na Place des Vosges, a mais antiga de Paris, situada na Rive Droite; onde Victor Hugo viveu grande parte de sua vida.

 museu

Victor-Marie Hugo (1802-1885), foi um grande escritor francês, autor de grandes obras como Les Misérables e Notre-Dame de Paris.

Com uma rica história de vida, uma infância marcada por grandes acontecimentos e uma vida adulta rodeada sempre por pessoas influentes e de muitas amantes, Victor Hugo, escreveu mais de 30 livros e tornou-se um dos grandes nomes do romantismo francês.

Estando em Paris, eis um passeio imperdível para quem aprecia história, arte, literatura e grandes biografias como a de Victor Hugo.

O local expõe todo o mobiliário utilizado na época por Victor Hugo, as primeiras edições alguns de seus livros, mais de 400 desenhos executados pelo escritor, obras de artes, e ainda as penas utilizadas por Victor Hugo para escrever – Les Misérables. O primeiro andar é destinado a exposição dos objetos e no segundo andar está a casa do escritor.

Aí estão todas as obras gráficas do escritor assim com seus manuscritos, pinturas e esculturas que o homenageiam, caricaturas e fotos. O museu possui também uma importante biblioteca aberta aos pesquisadores.

museu Victor Hugo

O local onde ele viveu  de 1832 a 1848  fica na esplêndida Place des Voges. Victor Hugo tinha 30 anos quando se mudou para este apartamento de 280 metros quadrados , no segundo andar do Hotel de Rohan-Guéménée, com sua esposa Adele. E lá, eles viveram por 16 anos. Hoje, a antiga residência abriga um museu.

museu Victor Hugo

O apartamento de Victor Hugo, que virou museu em 1903, foi reconstituído com certa liberdade a partir de fotos e móveis que também foram usados em outros lugares onde o escritor morou. O espaço foi adaptado num percurso de sete salas, que vai contando a vida de Hugo através de documentos, gravuras, jornais, cartas, pinturas.

Ele viveu aqui por 16 anos (de 1832 a 1848), onde escreveu grandes romances, inclusive parte de Os Miseráveis (Les Misérables). O local só virou museu no começo do século 20 e foi reconstituído a partir de fotos e documentos. Mas a escrivaninha e a pena de onde saíam suas obras, o busto feito por Rodin e parte do mobiliário são originais.

museu Victor Hugo

O apartamento foi dividido em salas que contam a história de Victor Hugo através de cartas, rascunhos, pinturas, gravuras, obras de arte e desenhos feitos pelo próprio escritor.

A visita ocorre em duas etapas: coleções permanentes, que é gratuita, e exposições temporárias, mas estas são pagas. Os objetos exibidos na primeira são principalmente documentos de trabalho do poeta, como aqueles relacionados à sua produção literária. A casa é aberta de terça a domingo, das 10h às 18h.

museu Victor Hugo

No seu apartamento, podemos visitar a sala de estar; a sala de jantar de inspiração medieval, ideia do próprio Victor Hugo, a sala chinesa também concebida pelo escritor, e o seu quarto. O mobiliário é magnífico! O interessante na visita é transportar-se ainda para o seu tempo e tentar imaginar os momentos de inspiração do escritor. Emocionante!

museu Victor Hugo

museu Victor Hugo

museu Victor Hugo

Sala de jantar de Victor Hugo/Foto de: Patrícia C. de Amorim

museu Victor Hugo

Sala Chinesa Foto: Divulgação

Parte do Museu Maison de Victor Hugo, em Paris (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

Parte do Museu Maison de Victor Hugo, em Paris (Foto: Reprodução/Felipe Vinha)

museu Victor Hugo

museu Victor Hugo

museu Victor Hugo

Os móveis eram quase todos concebidos por ele. Muita coisa ele realizava sozinho, para outras contava com a ajuda de profissionais, mas sempre supervisionado por ele.

Contam que Victor Hugo era uma personalidade muito forte e seguro de si, para não se dizer um tanto pretencioso. Alguns detalhes na sua casa mostram o quanto ele era centrado em si mesmo, como as suas inciais em todos os cantos da decoração (para não dizer as iniciais da sua amante!)

O quarto Foto: Divulgação

Ver onde a pessoa morou, seu estilo de vida, imaginar que tudo aquilo é absolutamente real e gerou boa parte da história que você gosta de ler é, realmente, espetacular. A cama onde o autor de “O Corcunda de Notre Dame” morreu é essa aí da foto

A entrada é gratuita e além de móveis originais, cartas, quadros, documentos e gravuras da imagem de Victor Hugo, é possível ver trechos manuscritos de suas mais importantes obras.

Na casa está o modo de entender a arte e a essência da filosofia de vida de Victor Hugo. Foi onde ele viveu grande parte de sua vida.

museu Victor Hugo

 Podemos ver a escrivaninha alta, já que ele preferia escrever em pé.

A visita promete ser realmente emocionante, especialmente para os fãs mais ardorosos, que poderão ver ali a mesma pena que foi utilizada para escrever suas obras mais importantes. Ao conhecer sua casa, o turista terá uma visão mais ampla do escritor e também da cidade que tanto inspirou suas histórias.

Victor Hugo foi um gênio, considerado o principal representante do romantismo francês. Era ativista dos direitos humanos e teve grande atuação política na França. Suas obras, além de intensa criatividade, traziam posições progressistas e enorme consciência social.

museu Victor Hugo

Sua imagem menos conhecida, ainda jovem

museu Victor Hugo

Maison Victor Hugo
6, place des Vosges, 75004
Metrô: Saint-Paul (linha 1), Bastille (linhas 1, 5 e 8 )
Fone: 01 42 72 10 16
Aberto de terça a domingo (exceto feriados), das 10h às 18h

Fontes:

http://www.maisonsvictorhugo.paris.fr/

http://www.parisladob.com/2012/02/06/top-5-museus-gratuitos-de-paris-5-maison-de-victor-hugo/

http://www.matraqueando.com.br/place-des-vosges-e-maison-victor-hugo-passeio-casado-e-gratuito-em-paris

http://www.parciparla.com.br/casa-do-victor-hugo/

http://blogs.diariodonordeste.com.br/andarilho/roteiros/visitando-a-casa-de-victor-hugo-a-grandiosidade-da-intelectualidade-francesa/

http://www.bigviagem.com/museu-maison-de-victor-hugo-em-paris/

http://roteirosliterarios.com.br/7-lugares-para-conhecer-usando-o-metro-de-paris/

http://viverplenamenteparis.blogspot.com.br/2012/09/casa-de-victor-hugo-em-paris.html

Read more...


Jardim do Hotel de Ville

O jardim do Hotel de Ville é florido e bem-cuidado, como todos os espaços verdes da cidade, além de ficar ao lado dessa obra-prima arquitetônica que é o prédio da prefeitura de Paris.

Funciona somente aos sábados, domingos e feriados, pois durante a semana o jardim pertence a uma escola.

Até o ano de 2001 o espaço de 1.600m2 era uma dependência dos apartamentos privados dos prefeitos de Paris. Sob a gestão de Bertrand Delanoë, os imóveis foram removidos para dar lugar a uma creche-maternal. Nas horas em que a creche estava fechada, o jardim não era utilizado.

Anne Hidalgo, a atual prefeita da cidade, desejava, desde o início de seu mandato, entregar este espaço verde ao parisienses e finalmente foi aberto ao público em 24 de janeiro de 2016.

Juste à côté la Seine, Notre Dame, l’Île de la Cité…

 

Petit coin de fougères à l’ombre des grands arbres.

pour apprécier un moment de quiétude sur ce banc qui n’attend plus que les visiteurs.

Une petite serre chauffée se laisse entrevoir dans le fond du jardin.

Un coin repos avec un beau laurier rose…

Les baies rutilantes des bambous sacrés (Nandina domestica)

Un camélia à fleurs doubles blanches…

As visitas podem ser feitas aos sábados, domingos e feriados, à partir das 9 horas. 

Fontes:

http://www.pariscotejardin.fr/2015/01/premiere-visite-du-jardin-de-lhotel-de-ville-paris-4e/comment-page-1/

Read more...


Le Procope

Resultado de imagem para le procope paris

Foto: Divulgação | A fachada do Le Procope, um dos restaurantes mais antigos do mundo.

Resultado de imagem para le procope paris

O Le Procope é o restaurante mais antigo da França – e um dos mais antigos do mundo.

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Fundado em 1686, o local já foi frequentado por Molière, Voltaire, Rousseau, entre tantas outras “celebridades” desde o século XVII, até os dias atuais. Sua história e arquitetura – e também a cozinha, sejamos justos – , despertaram tanto o interesse turístico, que o restaurante passou a ser deixado um pouco de lado pelos parisienses.

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Mas é numa hora pouco provável do dia que alguns encontros frugais ou de negócios – e até mesmo uma concessão para se levar a visita estrangeira ao local pitoresco- que lá temos encontrado o típico morador da cidade.

Pause Gourmande no Le Procope

Em uma atmosfera muito mais calma do que os movimentados horários de almoço e jantar, é possível degustar com prazer o menu da “Pause Gourmande“, que consiste em um menu com direito a uma bebida quente e um doce, no estilo chá da tarde, provando o que há de mais delicioso e tradicional da mesa francesa. E ainda com a visão deste fragmento da história.
Pode-se escolher do crepe flambado ao crème brûlée e voilá! já se pode dizer que sentou-se à mesa preferida de alguns dos mais importantes pensadores ocidentais.

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

O crepe flambado do Le Procope. Foto: Divulgação (Foto: O crepe flambado)

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

Le Procope ( @restaurantprocope1686 ) PAUSE GOURMANDE …

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

Resultado de imagem para le procope paris pause gourmande

Éclair au chocolat géant à la Brasserie Le Procope

O endereço do Le Procope:
13 Rue de l’Ancienne Comédie
75006 Paris

Fontes:

http://www.procope.com/

http://blogs.oglobo.globo.com/paris/post/cafe-da-tarde-no-restaurante-mais-antigo-de-paris-558720.html

https://www.facebook.com/CafeLeProcope/posts/1221196931308924

http://positiveeatingpositiveliving.blogspot.com.br/2009_07_01_archive.html

http://www.evous.fr/Les-plus-vieux-cafes-restaurants-salons-de-the-et-brasseries-de-Paris,1181040.html

Read more...

Flickr

RSS URL not defined

Entre em contato!

Tel. 55 11 9641 0432

Áreas atendidas – São Paulo, SP
_Higienópolis
_Pacaembú
_Perdizes
_Bela Vista
_Outras áreas: consulte!

Visite minhas redes sociais:

Scroll to top